Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Cientistas escoceses inventam “língua artificial” para detetar falsificações de whisky

Cientistas escoceses desenvolveram uma língua artificial que é capaz de detetar diferenças subtis entre distintas variedades de whisky e identificar falsificações. (DR)

Cientistas escoceses desenvolveram uma língua artificial que é capaz de detetar diferenças subtis entre distintas variedades de whisky e identificar falsificações.

Num artigo publicado hoje na revista britânica Nanoscale, da Real Academia de Química, é explicado como engenheiros e químicos das universidades de Glasgow e Strathclyde conseguiram construir “um pequeno provador” que explora as propriedades do ouro e do alumínio para identificar diferenças entre bebidas alcoólicas.

De acordo com a Lusa, citada pela RTP, a equipa conseguiu que duas lâminas microscópicas de ouro e de alumínio, dispostas sobre um tabuleiro para agirem como papilas gustativas (aproximadamente 500 vezes menores do que os seus equivalentes humanos) da língua artificial, na qual derramaram amostras de whisky e mediram como absorvem a luz enquanto submersas.

O sistema foi capaz de detetar diferenças entre a mesma marca envelhecida em diferentes barris, com mais de 99% de precisão e também distinguir entre variedades de 12, 15 e 18 anos.

Alasdair Clark, da Escola de Engenharia da Universidade de Glasgow, disse que a invenção foi chamada “língua artificial” porque age de maneira semelhante ao órgão humano e disse que, embora não seja a primeira, é a que “fornece mais informações” sobre o sabor de cada amostra e “permite uma resposta mais rápida e precisa”.

O investigador acrescentou que, embora a experiência se tenha concentrado no whisky, “a língua artificial poderia facilmente ser usada para testar virtualmente qualquer líquido, o que daria uma ampla variedade de aplicações”.

“Além de seu óbvio potencial na identificação de álcoois falsificados, o dispositivo poderia ser usado em testes de segurança alimentar e controle de qualidade. Seria realmente útil em qualquer área onde seja necessário um método de degustação portátil e reutilizável”, concluiu o investigador.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »