- Publicidade-
InicioDestaquesMais de 23 mil pessoas vão para a Caixa Social das FAA

Mais de 23 mil pessoas vão para a Caixa Social das FAA

Cerca de 23 mil pessoas, entre pensionistas e familiares de ex-militares, vão ser brevemente integrados na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas (FAA), para começar a beneficiar das pensões que têm direito.

De acordo com o JA, Salviano de Jesus Sequeira “Kianda, que falava no final de uma visita de dois dias a província mais a norte do país, informou que aquelas pessoas vão ser brevemente integrados na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas (FAA).

O ministro admitiu a existência de “fantasmas” na Caixa de Segurança Social das FAA, razão pela qual reafirmou a necessidade de regularização da situação dos reformados que beneficiam de pensões daquele órgão das FAA.

Salviano Sequeira, que trabalhou durante dois dias em Cabinda, com o objectivo de avaliar o estado de prontidão das
tropas daquela Região Militar, bem como de constatar a capacidade combativa das tropas nas unidades e subunidades, afirmou que a regularização da situação dos reformados das Forças Armadas passa, necessariamente, por um amplo
processo de cadastramento de pensionistas, a nível de todo o país.

Segundo o ministro Salviano Sequeira, o cadastramento, já em curso, permite corrigir algumas falhas registadas no processo de pagamento de pensões, em que por um lado havia elementos “fantasmas” a beneficiarem e, por outro, o dispêndio de muito dinheiro pela Caixa de Segurança Social das FAA para o pagamento de pensionistas. Salviano de Jesus Sequeira não avançou números em relação aos fantasmas.

O ministro da Defesa Nacional falou, igualmente, sobre a situação político-militar em Cabinda, caracterizando-a de estável, apesar do incidente, sem consequências, ocorrido no dia 30 de Junho, na fronteira de Massabi, a 90 quilómetros a norte da sede provincial, em que um determinado elemento da FLEC, a partir do território de Ponta Negra, na República do Congo, disparou contra um soldado da Policia de Guarda Fronteira que se encontrava no seu posto.

Centro de hemodiálise

Efectivos das Forças Armadas Angolanas na província de Cabinda vão dispor, nos próximos meses, de um centro de hemodiálise, anunciou o ministro da Defesa Nacional.

Salviano de Jesus Sequeira afirmou que a futura unidade irá também assistir a população em geral que padece de insuficiência renal. O ministro “Kianda” não avançou o valor do projecto, cujas obras serão executadas num período de cinco meses com o financiamento de uma empresa nacional.

O ministro da Defesa Nacional esclareceu que a assistência médica no futuro centro de hemodiálise das FAA em Cabinda será comparticipada, para permitir o retorno do capital a ser investido na construção da infra-estrutura hospitalar.

“As obras de construção do centro vão iniciar no final deste mês e serão sustentadas por um financiamento privado, a ser feito pela empresa Alcail e nós vamos pagar com os resultados financeiros produzidos pelo próprio centro de hemodiálise” disse

O centro de hemodiálise estará sob gestão do Ministério da Defesa com auxílio do Ministério da Saúde. O ministro, anunciou igualmente, para o próximo ano, a construção de um novo Hospital Militar em Cabinda, cujo projecto será integrado no Programa de Investimentos Públicos de 2020.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.