- Publicidade-
InicioDestaquesMSTelcom lança MST Cloud e Cyber Security

MSTelcom lança MST Cloud e Cyber Security

Portal de Angola | Diniz Kapapelo

A MSTelcom, subsidiária da Sonangol, ligada ao sector das telecomunicações, lançou esta quinta-feira, no Hotel Convenções de Talatona, dois novos serviços: trata-se do MST Cloud e o Cyber Security, ambos soluções tecnológicas.

O acto, presenciado por um leque de convidados, entre eles o PCA da Sonangol, Sebastião Pai Querido Gaspar Martins, reafirma a aposta da empresa que actua há 20 anos no mercado angolano, destacando-se no sector das tecnologias de informação e comunicação.

Investimento de USD 4 milhões em novas soluções tecnológicas
A MSTelcom, investiu, a partir de 2018, USD 4 milhões nos dois novos serviços MST Cloud e Cyber Security, sendo uma de armazenamento e a outra de protecção de dados virtuais destinadas às empresas.

O investimento faz parte da estratégia de deixar de actuar como ISP – Internet Service Provider, passando a um MSP – Manager Service Provider, ou seja um provedor de Serviços de Tecnologias de Informação e Comunicação, segundo o presidente da comissão Executiva da MSTelcom, Adalberto Nhinguica.

“A MSTelecom é uma empresa de serviços de tecnologia de comunicações que desenvolve os seus produtos de acordo com as necessidades do mercado. O mercado está a precisar e estamos aqui para dar o nosso contributo para o desenvolvimento do nosso país”, disse em conferência de imprensa.

Segundo o gestor, tendo uma visão clara dos desafios do mercado, pela forte concorrência, constante evolução tecnológica e por consumidores cada vez mais exigentes, a MSTelcom optou pela introdução de tecnologias que criam novas formas de suprir as necessidades do mercado, daí lançar esses dois serviços, o MSTCloud e o Cyber Security, que irão ajudar a melhorar consideravelmente a vida dos seus clientes.

A oferta destes Serviços, acrescentou, é somente o início, pois vão dar continuidade e acompanhar o desenvolvimento mundial, privilegiando sempre a satisfação dos clientes.

A MSTelcom está consciente deste desafio de mudança e acredita ser este o momento certo para fazer esta aposta, em apoiar o desenvolvimento de Angola, transformar e facilitar a vida dos seus clientes.

Por sua vez, o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Sebastião Gaspar Martins, lembrou que, ciente das necessidades de telecomunicações do grupo, em 1996, o conselho de administração lançou a sua unidade de Negócios de Telecomunicações, com a abertura da MSTelcom, tendo adquirido do Inacom a licença de operador dos serviços de telefonia fixa.

Considerou que a mudança de paradigma actual, em 2019, que permite a MSTelcom deixar de actuar como ISP e passar a MSP, ocorre numa altura em que a vivência num mundo cada vez mais dependente das novas tecnologias deixou os seus usuários mais vulneráveis.

“A necessidade crescente da armazenagem de informação em contraponto a exiguidade de espaço físico para o efeito, criou mais nicho no mercado tecnológico a aproveitar. Em 20 anos de presença activa no mercado angolano, a MSTelcom pautou sempre por estar na vanguarda da oferta de serviços inovadores”, disse.

Salientou que a recorrência de ataques cibernéticos determina, dessa forma, a adopção por parte dos vários entes sociais, de medidas para a protecção das informações e dados amiúde vitais à sua actividade cada vez mais sofisticadas, colocando às MSP um desafio permanente aos serviços que oferecem.

O lançamento dos dois novos serviços MStcloud e Cyber Security aconteceu no âmbito das festividades dos 20 anos de existência da MSTelcom.

Há 20 anos no mercado angolano, a MSTelcom é uma das empresas líderes no sector das tecnologias de informação e comunicação, contribuindo para a evolução tecnológica do sector e para o crescimento económico do país.

Ao longo dos anos, a MSTelcom implementou diversos projectos, apostou em parcerias que acrescentaram valor à empresa e ao sector das telecomunicações, tendo enfrentado várias mudanças no paradigma tecnológico.

A MSTelcom tem crescido com a aposta em equipamentos de última tecnologia, com a exploração em novas áreas e com uma equipa composta por profissionais experientes e qualificados.

De referir que a 5 de Junho, a Sonangol foi alvo de um ataque informático que deixou a empresa paralisada.
À data dos factos, segundo informações da imprensa angolana, esta acção de pirataria foi desencadeada numa altura que era realizada em Luanda a conferência “Angola Oil & Gas” que juntou cerca de 500 gestores ligados a estas duas áreas e contou com a presença do presidente da República João Lourenço.

Até ao momento, as autoridades não revelaram a gravidade do ataque ou se alguém chegou a ser detido em função desta situação.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.