- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques Moscovo anuncia que não assiste a conferência internacional de Lima sobre Venezuela

Moscovo anuncia que não assiste a conferência internacional de Lima sobre Venezuela

A Rússia anunciou hoje que não assistirá à Conferência Internacional para a Democracia na Venezuela, que se celebrará em Lima, porque duvida que o referido encontro possa cimentar o caminho para o diálogo entre o Governo e a oposição venezuelanos promovido pelas negociações de Oslo.

“Antes de tudo, não estamos convencidos que seja acertado falar sobre o problema da democracia na Venezuela sem a participação dos venezuelanos, representantes do Governo de (presidente) Nicolás Maduro e outras forças políticas”, informou hoje o ministério dos Negócios Estrangeiros russo num comunicado.

De acordo com a Lusa, citada pelo PT Jornal, Moscovo sublinha que a sua “principal dúvida” é como a conferência pode contribuir para o “diálogo inter venezuelano” e para o processo de negociação iniciado com a mediação da Noruega.

A Rússia também adverte que as pressões exteriores podem “complicar” enormemente a procura de uma “confiança mútua” entre as duas partes e a tradução em medidas “mutuamente aceitáveis” para os venezuelanos “sem ingerência externa”.

Moscovo que apoiou desde o princípio o regime de Maduro e foi convidada para a conferência bem como os Estados Unidos, Cuba e China, já comunicou ao Peru a sua decisão.

“Depois de estudar atentamente toas as circunstancias, chegámos à conclusão que é conveniente que nos abstenhamos de participar na referida conferência”, sublinhou.

Ao mesmo tempo, insiste em apoiar a procura de uma saída política para a crise baseada no direito internacional e defende um diálogo “construtivo” com os países da América Latina e de outras regiões interessadas numa solução para a Venezuela.

Antes de participar na semana passada no Brasil na reunião do foro BRICS, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguéi Lavrov, sublinhou que a situação na Venezuela está a melhorar e que o processo de Oslo está a impor o senso comum na solução da crise no país da América Latina.

Lavrov mostrou-se convencido que “se alguém nos Estados Unidos opta pelo uso da força, toda a América Latina se oporá” e, uma vez no Rio de Janeiro, assegurou que Moscovo apoiará “qualquer acordo” que as partes alcancem no âmbito das negociações de Oslo.

A conferência de Lima vai reunir ministros dos Negócios Estrangeiros e representantes de uma centena de países, indicou o ministério dos Negócios Estrangeiros peruano num comunicado.

Em contrapartida, vários dos países da América Latina reunidos no denominado Grupo de Lima defendem, como os Estados Unidos, pressões diplomáticas e económicas para forçar maduro a convocar eleições e permitir uma saída negociada da crise.

Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros português confirmou hoje em Bissau que Portugal estará na reunião de Lima, sobre a crise na Venezuela, “ao nível que seja adequado e possível”, e admitiu contactos com outros países sobre o assunto.

Falando à Lusa à margem da apresentação de um projecto cultural, co-financiado entre a cooperação portuguesa e a União Europeia, Augusto Santos Silva, que hoje termina uma visita de trabalho de dois dias à Guiné-Bissau, precisou que Portugal está em concertação com o Grupo Internacional de Contactos sobre a Venezuela e que estará presente na reunião no Peru.

“Neste momento, estamos a concertar com o Grupo de Contacto Internacional para saber qual é a representação mais adequada, mas neste momento nós temos já o nosso embaixador em Lima de prevenção porque estaremos na reunião ao nível que seja adequado e possível”, afirmou Santos Silva.

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse que ainda não tem uma ideia clara da sua agenda para os próximos dias, uma vez que terá que acompanhar o Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, a uma visita de Estado à Alemanha e esperar pelos desenvolvimentos noutras regiões do mundo “em que talvez seja útil a presença portuguesa”, mas garantiu a presença de Portugal na reunião de Lima.

- Publicidade -
- Publicidade -

Melania levará 50 milhões pelo divórcio

Com Donald Trump fora da Casa Branca, a mulher do Presidente está a contar os minutos para acabar com o casamento, que há muito...
- Publicidade -

Afreximbank em alta, depois da crise

Sob a liderança de Benedict Oramah, reeleito como seu presidente em Junho, o banco pan-africano conseguiu desenvolver novos instrumentos para se adaptar à nova...

UNITA defende conclusão do pacote legislativo autárquico

A Comissão Política da UNITA defendeu a conclusão da aprovação do Pacote Legislativo Autárquico até ao final do corrente ano, no quadro da preparação...

Covid-19 faz 124ª morte em Moçambique

A pandemia da COVID-19 voltou a fazer uma vítima mortal na cidade de Maputo. Trata-se de um moçambicano de 40 anos de idade, que...

Notícias relacionadas

Melania levará 50 milhões pelo divórcio

Com Donald Trump fora da Casa Branca, a mulher do Presidente está a contar os minutos para acabar com o casamento, que há muito...

Afreximbank em alta, depois da crise

Sob a liderança de Benedict Oramah, reeleito como seu presidente em Junho, o banco pan-africano conseguiu desenvolver novos instrumentos para se adaptar à nova...

UNITA defende conclusão do pacote legislativo autárquico

A Comissão Política da UNITA defendeu a conclusão da aprovação do Pacote Legislativo Autárquico até ao final do corrente ano, no quadro da preparação...

Covid-19 faz 124ª morte em Moçambique

A pandemia da COVID-19 voltou a fazer uma vítima mortal na cidade de Maputo. Trata-se de um moçambicano de 40 anos de idade, que...

Covid-19 em Portugal: Mais 74 mortes e 4044 infectados

O número de infectados ultrapassou os 58,6 milhões em todo o mundo. Já morreram 1,38 milhões de pessoas com covid-19 e 37,4 milhões recuperaram...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.