InicioAngolaRegiõesTensão no campo de refugiados do Lóvua na Lunda Norte

Tensão no campo de refugiados do Lóvua na Lunda Norte

VOA | Fernando Caetano

A tensão está a aumentar no campo de refugiados do Lóvua na Lunda Norte onde se registaram já alguns actos de violência e ameaças por parte dos congoleses que querem regressar ao seu país.

Autoridades provinciais do Kasai na República Democrática do Congo e da província angolana da Lunda Norte vão reunir-se segunda-feira para discutir a situação desses refugiados que recentemente se manifestaram contra a a agência de refugiados da ONU.

Fontes policiais na Lunda Norte disseram que se têm registado incidentes no campo, o último dos quais envolveu a agressão a uma mulher que tinha semeado produtos agrícolas, algo que alguns refugiados se opõem por considerarem que isso perpetua a sua estadia em Angola.

“Esta agressão aconteceu pelo facto da senhora entender que devia semear um produto ali u milho, feijão, hortaliças e alguns membros do grupo, refugiados, entenderam que isso visa perpetuar a sua estadia no campo”, disse a fonte policial que disse que os responsáveis da agressão foram presos.

O representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, ACNUR, disse lamentar os distúrbios acrescentando que “as pessoas que têm cometido delitos aí com relação a ameaças e agressões obviamente já estão identificadas e serão levadas a responsabilidade legal”.

O comandante Alfredo Nilodisse não haver violência mas sim casos de ameaças “ desde há dois ou três meses para cá desde aquela manifestação contra alguns funcionários do ACNUR onde eles publicamente manifestaram a vontade de regressar”.

O comandante disse que a falta de comunicação sobre a situação fez aumentar o descontentamento, frisando, no entanto, que o que se passou até agora “não representa qualquer perigo”.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.