InicioDestaquesINE prepara inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde

INE prepara inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde

O Instituto Nacional de Estatística (INE) vai realizar o segundo Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde (IIMS) em 2020, com início previsto em Maio, anunciou hoje, sexta-feira, a Directora-Adjunta, Ana Machado.

De acordo com a Angop, o primeiro IIMS foi realizado em 2015-2016 e teve como propósito apoiar o país na avaliação do seu progresso em termos dos objectivos do Desenvolvimento do Milénio (ODM).

O inquérito terá a duração de cinco meses e será a combinação do quinto Inquérito de Indicadores Múltiplos (MICS) com o segundo Inquérito Demográfico e de Saúde (IDS).

Ana Machado Ceita prestou essas informações durante um encontro com os parceiros nacionais e internacionais que garantiram apoio financeiro, técnico e logístico.

Para a realização do IIMS, o INE necessitará, inicialmente, cerca de nove mil dólares, actualmente têm disponibilizados cerca de sete milhões de dólares.

O IIMS 2020 vai disponibilizar indicadores sócio-demográficos sobre fecundidade, mortalidade materna e de crianças menores de cinco anos, saúde reprodutiva, prevalência do VIH/SIDA, infecções sexualmente transmissíveis (IST), malária, anemia e violência doméstica e conhecimentos e atitudes relacionadas sobre o VIH/SIDA.

Segundo o Director-Geral do INE, Camilo Ceita, essas informações vão contribuir para o fortalecimento dos processos de planificação do Plano Nacional de Desenvolvimento Sanitário para 2012-2022 (PBDS 2012-2025) e Plano de Desenvolvimento Nacional para 2018-2022, bem como a avaliação do desenvolvimento socioeconómico do país, em particular na realização dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS).

Visa igualmente dotar o país de informações estatísticas credíveis para permitir monitorar o impacto que os vários planos e programas sociais e de investimento , bem como avaliar os progressos realizados no âmbito da Agenda 2030 e do Plano Nacional de Desenvolvimento 2018-2022.

Por sua vez, a Chefe de Departamento de Estatística, Margarida Lourenço, adiantou que o programa para a malária vai ter um orçamento a parte, pelo facto de no primeiro IIMS não se ter feito a recolha de sangue em todos os agregados entrevistados, sendo uma intenção actual.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.