InicioMundoÁfricaNovo caso de ébola na RDC detectado fora da zona controlada

Novo caso de ébola na RDC detectado fora da zona controlada

Novo caso de ébola confirmado fora da zona a que o vírus estaria confinado no leste da República Democrática do Congo está a agravar as preocupações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo a Euronews, um padre foi diagnosticado em Goma, um importante pólo de transportes no país, onde vive mais de um milhão de pessoas.

Goma localiza-se cerca de 180 km a sul da zona limítrofe de Kivu Norte e Ituri, área onde se pensava estar confinado o surto de ébola na República Democrática do Congo, o segundo mais grave da história depois do que matou 11 mil pessoas entre 2013 e 2014 no ocidente africano, afectando sobretudo Libéria, Guiné-Conacri e Serra Leoa.

O homem diagnosticado em Goma viajou 200 quilómetros de autocarro desde Butembo, uma cidade entre Kivu Norte e Ituri, onde terá contactado várias pessoas infectadas com o ébola.

Medidas sanitárias estão a ser implementadas na região e o risco de propagação do vírus mantém-se alto, alerta a OMS.

Apesar dos alertas emitidos pela OMS, o Ministério da Saúde congolês considerou baixo o risco de propagação em Goma.

O director-geral da organização afecta às Nações Unidas (ONU) lamentou que “numa altura em que se começava a controlar o vírus numa área, ele aparecesse noutra” e referiu “a violência e a insegurança” como “ameaças” à resposta médica contra o vírus.

“Cada ataque torna mais difícil rastrear os contactos estabelecidos, vacinar a população e realizar funerais seguros. E abre também portas à propagação do ébola”, alertou Tedros Adhanom Ghebreyesus, acrescentando também como “grandes obstáculos” na luta contra o ébola “a desconfiança da comunidade, a instabilidade política, a propagação de mitos e a desinformação”.

O director da OMS considera este novo caso um potencial factor para alterar a estratégia de combate à epidemia.

“Decidi por isso convocar a Comissão de emergência tão breve quanto possível para avaliar a ameaça deste novo desenvolvimento e aconselhar-me devidamente”, referiu Tedros Adhanom Ghebreyesus

O responsável da OMS partilhou a mesa com Mark Lowcock, o subsecretário-geral da ONU responsável pelo Gabinete para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (UNOCHA, na sigla original). Estiveram presentes ainda outros organismos internacionais ligados à luta contra este segundo surto de ébola em África.

A União Europeia manifestou-se “comprometida no apoio à resposta ao ébola enquanto o surto durar”, afirmou Walter Stevens o embaixador da UE na ONU em Genebra.

Desde 2018, a UE disponibilizou quase €18 milhões para ajudar os organismos no terreno no combate ao surto de ébola na RD Congo.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.