Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Cabo Verde precisa de apoio financeiro para Programa de Luta Contra Droga

PRIMEIRO-MINISTRO DE CABO VERDE, ULISSES CORREIA E SILVA (FOTO: ROSÁRIO DOS SANTOS)

Inforpress|Angop

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, disse que o país precisa de 7,2 milhões de euros para operacionalizar o Programa Nacional Integrado de Luta Contra Droga e Crimes Conexos.

“Nós estamos a falar de montantes muito elevados: 7,2 milhões de euros. Esperamos que, de facto, possamos ter as contribuições necessárias para operacionalizar o programa”, disse o chefe do Governo, que falava, na cidade da Praia, durante uma reunião temática sobre o Programa Nacional Integrado de Luta Contra Drogas e Crimes Conexos (PNLCDCC 2018-2023).

Com apoio do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime para a África Ocidental (ONUDC), o programa cabo-verdiano tem alguns objetivos e metas que o país pretende alcançar nos próximos anos, entre elas a redução da prevalência de substâncias psico-ativas de 7,6% para 6,8%.

Também pretende diminuir a prevalência do consumo de álcool na população de 63,5% para 61,8% e reduzir a criminalidade em 50% até 2021.

Para o primeiro-ministro, o programa é multissetorial e com múltiplos atores, considerando que isso impõe muita disponibilidade, coordenação, complementaridade e sinergia entre as instituições de saúde pública, de justiça criminal, de segurança, de inspeção económica, supervisão financeira e de inclusão social, dos municípios, das ONG, do sistema educativo, das igrejas e da comunicação social e famílias.

Ulisses Correia e Silva disse esperar que da reunião temática saiam resultados que permitam reforçar o combate às drogas ilícitas e álcool, tanto na componente do seu consumo excessivo, como na produção e venda desregrada.

Para a representante do regional do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (ONUDC), Chantal Lacroix, o programa de Cabo Verde representa uma resposta aos desafios atuais prioritários e uma “contribuição substancial” para a promoção da saúde e bem-estar, paz e justiça.

A responsável sublinhou os “importantes avanços” conseguidos por Cabo Verde no combate ao crime organizado transnacional, através do reforço das capacidades dos serviços de aplicação da lei, do quadro legal e da cooperação judiciária internacional.

“Isto tem sido feito com apoio das Nações Unidas e de toda a comunidade internacional”, realçou, citada pela Inforpress, aconselhando, por outro lado, o executivo a reforçar os seus esforços, com uma abordagem integrada para consolidar os ganhos conseguidos.

Chantal Lacroix aproveitou para apelar os parceiros e toda a comunidade internacional a contribuírem para a implementação do programa.

“A implementação desse programa nacional nos diz respeito a todos. É um contributo crucial para a prevenção do uso de drogas e combate a crimes associados não só em Cabo Verde, mas também na África Ocidental e no resto do mundo”, referiu. Inforpress/Angop

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »