- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Cabo Verde Cabo Verde precisa de apoio financeiro para Programa de Luta Contra Droga

Cabo Verde precisa de apoio financeiro para Programa de Luta Contra Droga

Inforpress|Angop

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, disse que o país precisa de 7,2 milhões de euros para operacionalizar o Programa Nacional Integrado de Luta Contra Droga e Crimes Conexos.

“Nós estamos a falar de montantes muito elevados: 7,2 milhões de euros. Esperamos que, de facto, possamos ter as contribuições necessárias para operacionalizar o programa”, disse o chefe do Governo, que falava, na cidade da Praia, durante uma reunião temática sobre o Programa Nacional Integrado de Luta Contra Drogas e Crimes Conexos (PNLCDCC 2018-2023).

Com apoio do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime para a África Ocidental (ONUDC), o programa cabo-verdiano tem alguns objetivos e metas que o país pretende alcançar nos próximos anos, entre elas a redução da prevalência de substâncias psico-ativas de 7,6% para 6,8%.

Também pretende diminuir a prevalência do consumo de álcool na população de 63,5% para 61,8% e reduzir a criminalidade em 50% até 2021.

Para o primeiro-ministro, o programa é multissetorial e com múltiplos atores, considerando que isso impõe muita disponibilidade, coordenação, complementaridade e sinergia entre as instituições de saúde pública, de justiça criminal, de segurança, de inspeção económica, supervisão financeira e de inclusão social, dos municípios, das ONG, do sistema educativo, das igrejas e da comunicação social e famílias.

Ulisses Correia e Silva disse esperar que da reunião temática saiam resultados que permitam reforçar o combate às drogas ilícitas e álcool, tanto na componente do seu consumo excessivo, como na produção e venda desregrada.

Para a representante do regional do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (ONUDC), Chantal Lacroix, o programa de Cabo Verde representa uma resposta aos desafios atuais prioritários e uma “contribuição substancial” para a promoção da saúde e bem-estar, paz e justiça.

A responsável sublinhou os “importantes avanços” conseguidos por Cabo Verde no combate ao crime organizado transnacional, através do reforço das capacidades dos serviços de aplicação da lei, do quadro legal e da cooperação judiciária internacional.

“Isto tem sido feito com apoio das Nações Unidas e de toda a comunidade internacional”, realçou, citada pela Inforpress, aconselhando, por outro lado, o executivo a reforçar os seus esforços, com uma abordagem integrada para consolidar os ganhos conseguidos.

Chantal Lacroix aproveitou para apelar os parceiros e toda a comunidade internacional a contribuírem para a implementação do programa.

“A implementação desse programa nacional nos diz respeito a todos. É um contributo crucial para a prevenção do uso de drogas e combate a crimes associados não só em Cabo Verde, mas também na África Ocidental e no resto do mundo”, referiu. Inforpress/Angop

- Publicidade -
- Publicidade -

A embriaguez pela leitura

Para satisfazer um vasto número de leitores que solicitaram a peça tomei a liberdade de a colocar outra vez on line, desta vez, no...
- Publicidade -

Ana Gomes: a activista com alma de ONG que não quer ser politicamente correcta

Bastaram duas perguntas para assumir que não trabalha para agradar a todos, mas sim para desagradar a muita gente. Diz que as conquistas lhe...

David Quammen: “Vêm aí outras pandemias e esta não se vai embora nunca mais”

Já andou à procura de galinhas com influenza, de morcegos com SARS, e do ébola. Foi perseguido por elefantes, dormiu ao relento e entrevistou...

Juan Carlos, rei emérito de Espanha, tem garagem com carros de sonho

Tal como o seu avô, Alfonso XIII, o monarca é um apaixonado por automóveis e por velocidade desde tenra idade. Vivem-se tempos muito turbulentos na...

Notícias relacionadas

A embriaguez pela leitura

Para satisfazer um vasto número de leitores que solicitaram a peça tomei a liberdade de a colocar outra vez on line, desta vez, no...

Ana Gomes: a activista com alma de ONG que não quer ser politicamente correcta

Bastaram duas perguntas para assumir que não trabalha para agradar a todos, mas sim para desagradar a muita gente. Diz que as conquistas lhe...

David Quammen: “Vêm aí outras pandemias e esta não se vai embora nunca mais”

Já andou à procura de galinhas com influenza, de morcegos com SARS, e do ébola. Foi perseguido por elefantes, dormiu ao relento e entrevistou...

Juan Carlos, rei emérito de Espanha, tem garagem com carros de sonho

Tal como o seu avô, Alfonso XIII, o monarca é um apaixonado por automóveis e por velocidade desde tenra idade. Vivem-se tempos muito turbulentos na...

TAAG repatria 800 angolanos de Portugal

 Pelo menos 800 angolanos retidos em Portugal desde Março, de um total de dois mil e cem (2.100) que manifestaram interesse em regressar a...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.