Inicio Angola Regiões Centro de empoderamento da mulher vandalizado no Bengo

Centro de empoderamento da mulher vandalizado no Bengo

0
Centro de empoderamento da mulher vandalizado no Bengo
(DR)

O Centro de Empoderamento Económico e Social da Mulher, localizado no percurso Açucareira/Porto Kipiri, na província do Bengo, encontra-se vandalizado e votado ao abandono constatou a Angop.

O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial da Polícia Nacional, Paulo Miranda de Sousa, explicou que foram já detidas algumas pessoas envolvidas na vandalização do referido centro e apelou à sociedade a denunciar aqueles que vandalizam ou destroem bens públicos.

O centro faz parte de um projecto do consórcio ABC-BPC que contempla um hotel, praça da alimentação, zona agrícola e um mercado do peixe avaliado em cerca de 53 milhões de dólares.

Inaugurado em 2015, no âmbito do programa da diversificação de economia, o Centro de Empoderamento Económico e Social da Mulher, de iniciativa privada do consórcio ABC-BPC, tinha como propósito criar microempresas para mulher na área comercial e agricultura.

Na ocasião, a ministra da Família e Promoção da Mulher na altura, Maria Filomena de Fátima Delgado, disse que o projecto daria resposta às preocupações manifestadas no encontro de auscultação da mulher da província do Bengo, sublinhando que constitui um factor indispensável para o desenvolvimento do país.

Um ano depois, a governante regressou a província do Bengo e manifestou a sua preocupação considerando que o centro era um “monstro adormecido” a espera de mais volume de trabalho.

“É um bocado triste, porque a expectativa foi grande e o que recebi como informação e o que acabo de constatar é que muitas beneficiadas estão a abandonar o negócio”, lamentou a governante.

A Angop tentou contactar o PCA do consórcio BPC-ABC, João Paulo Tomás, para esclarecimentos a volta do projecto, mas não teve sucesso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.