InicioCiências e TecnologiaAngoSat-2 será duas vezes melhor que o 'falhado' - Rússia

AngoSat-2 será duas vezes melhor que o ‘falhado’ – Rússia

O satélite do projecto conjunto da Rússia e Angola, AngoSat-2, será superior ao seu antecessor que avariou, disse o chefe da Corporação Estatal de Actividades Espaciais da Rússia (Roscosmos), Dmitry Rogozin, aos repórteres, avança a Sputnik.

Durante uma visita à empresa de defesa Krasmash, na cidade russa de Krasnoyarsk, Dmitry, informou que, o novo satélite foi melhorado e “nas negociações com o parceiro começaram a surgir novos desejos e pedidos”.

“Por isso, o AngoSat-2, que está sendo feito agora, difere radicalmente do primeiro aparelho espacial. Existem questões de relacionamento entre a corporação russa RKK Energia [que liderou construção do satélite] e os clientes angolanos, mas elas são resolvidas a nível intergovernamental”, disse Rogozin.

Dmitry também observou que a Rússia está actualmente trabalhando em estreita colaboração com os países africanos em termos de cooperação na indústria espacial.

“Em geral, trabalhamos com os países africanos em estreita colaboração. Este é um mercado muito grande. Todos entram neste mercado. Depois do sucesso da nossa missão com os egípcios, esperamos obter uma encomenda adicional. Nós temos uma boa tecnologia. Ela provou sua vitalidade”, disse o chefe da Roscosmos.

Satélite AngoSat

O satélite de comunicações AngoSat, construído para Angola, foi lançado em órbita no final de 2017. A comunicação com o satélite perdeu-se quase imediatamente após o lançamento. O dispositivo foi segurado em USD 121 milhões, tendo um custo de USD 252 milhões, e em vez de indemnizar pelo satélite perdido, a Rússia prometeu construir um novo aparelho à sua própria custa.

Perspectivas e os planos

Anteriormente Vladimir Tararov, embaixador da Rússia em Angola, comentou à Sputnik as perspectivas e os planos para a cooperação espacial entre os dois países. O diplomata comentou a cooperação russo-angolana nessa área e a importância da construção destes satélites.

De acordo com embaixador, embora o processo de construção do primeiro satélite angolano AngoSat-1 tivesse sido bastante difícil, ele conseguiu entrar em órbita, os especialistas angolanos foram os primeiros a entrar em contacto com ele. Infelizmente, devido a uma falha no sistema de alimentação, o satélite deixou de funcionar como era esperado.

O AngoSat-2, segundo Tararov, deveria ser mais sofisticado e que poderia ser importante para a telecomunicação e ligação telefónica não apenas em Angola, mas também em outros países. Essas tecnologias podem ser usadas na medicina, segurança, defesa e na vida quotidiana de milhões de pessoas e transformaria Angola em uma potência regional.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.