InicioMundo LusófonoCabo VerdeMovimento cabo-verdiano organiza protesto em São Vicente nos 44 anos da independência

Movimento cabo-verdiano organiza protesto em São Vicente nos 44 anos da independência

DN|Lusa

O movimento cívico Sokols 2017 convidou a população de São Vicente para voltar a sair às ruas hoje, para uma manifestação contra o “bloqueio governamental”, no mesmo dia em que o país comemora 44 anos de independência.

Movimento cabo-verdiano organiza protesto em São Vicente nos 44 anos da independência
O protesto de hoje é o sexto organizado pelo Sokols em São Vicente, manifestações que se iniciaram há precisamente dois anos, na altura contra o “centralismo exacerbado” no arquipélago.

Em entrevista à agência Lusa, o presidente do Sokols, Salvador Mascarenhas, apontou “várias situações” que afetam a ilha de São Vivente, mas disse que o que salta à vista é o problema dos transportes, com ausência de ligações aéreas pela Cabo Verde Airlines (CVA).

Por tudo isto, o líder associativo afirmou que a ilha perdeu metade da sua economia nos últimos três anos, está a aumentar o desemprego e o êxodo de “massa cinzenta”.

“A ilha e a sua economia estão de rastos, todo o nosso potencial está a ir abaixo”, lamentou Salvador Mascarenhas, que apelou, por isso, à participação da população.

A concentração está marcada para às 10:00 locais (12:00 em Lisboa) na Praça Estrelas, para depois os manifestantes percorrem as principais ruas da cidade do Mindelo.

Também em entrevista à Lusa, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, desvalorizou a manifestação e pediu trabalho a todos para melhorar as condições de vida na ilha.

“Essas manifestações esporádicas, não dou sentido a isso. Eu dou sentido ao trabalho, ao esforço, ao sacrifício, porque os são-vicentinos, os cabo-verdianos necessitam de trabalho e se todos nós trabalharmos de certeza que chegaremos àquilo que queremos que é ter um futuro risonho para os nossos netos e para as gerações vindouras”, disse o autarca.

A manifestação do Sokols 2017 é uma das atividades agendadas para o dia da independência de Cabo Verde, que a nível político vai ser marcado pela tradicional sessão solene na Assembleia Nacional, com a presença das mais altas figuras do Estado cabo-verdiano.

Antes da sessão solene, acontece a habitual deposição de flores no memorial Amílcar Cabral, na Várzea, cidade da Praia, num evento presidido pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, que conta ainda com presença de combatentes da liberdade, corpo diplomático e outras figuras do Estado cabo-verdiano.

No mesmo local, mas à tarde, a Câmara Municipal da Praia vai inaugurar o Largo Memorial Amílcar Cabral, num ato que será presidido pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Para além da homenagem, à morna e personalidades cabo-verdianas, o evento vai ter atuação de grupos como os Tubarões, Azagua, desfiles de Tabankas da Praia, batuque e performance com o grupo Raíz de Polon e Azagua.

O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) vai assinalar o dia com um ato central em Santa Cruz, interior de Santiago, que será presidido pelo líder do partido, Janira Hopffer Almada, e pelo presidente da Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP), Carlos Reis.

As atividades para assinalar os 44 anos da independência de Cabo Verde estão a decorrer esta semana em todo o país e na diáspora, com encontros, palestras, concertos musicais e tertúlias.

Cabo Verde tornou-se independente de Portugal a 05 de julho de 1975.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.