InicioEconomiaCFM vai facturar mais de mil milhões de kwanzas com ferro

CFM vai facturar mais de mil milhões de kwanzas com ferro

O arranque da exploração do ferro-gusa, no município do Cutato, Cuando Cubango e da Jamba, na Huíla, permitirá aumentar a facturação do Caminho de Ferro de Moçâmedes (CFM), de 700 milhões para mais de mil milhões de kwanzas/ano, avança o Mercado.

Segundo o administrador financeiro do CFM, António Conceição, actualmente a empresa, no traçado de 905 quilómetros, entre o Namibe, Huíla e Cuando Cubango, transporta à volta de 12 mil toneladas de mercadoria diversa/mês, quantidade que pode chegar as 400 mil, com o início do processo de exploração do minério.

“Estamos na expectativa de arranque do projecto de exploração mineira do ferro-gusa na zona do Cutato, que também vai dar um impulso, sendo que o CFM será o elo modal de transporte do mineral e estamos a contar na ordem de cem por cento o nosso volume de transportação, já que a médio prazo inicia também a exploração do ferro na Jamba e há contactos avançados para que essa a produção inicie e a transportação por arrasto vai acontecer”, sublimhou.

António Conceição frisou que o CFM está a fazer contactos com países produtores de material circulante, pois a preocupação está centrada na aquisição de vagões de tipologia especificada para o transporte de minérios e juntamente com as empresas que vão explorar se fazer um investimento significativo para a aquisição de equipamento de transporte de carga específica.

Acrescentou que a média de facturação mensal do CFM anda à volta de 70 milhões de kwanzas, longe daquilo que seria o equilíbrio da conta de exploração, pois os custos operacionais são altos, hoje fixados em 200 milhões de kwanzas, o que representa 30% da estrutura de despesas da empresa pública, sendo que o restante é assumido pelo Estado.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.