Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

OMS doa meio milhão de dólares em medicamentos

Representante da OMS em Angola, Hernando Agudelo e o Secretário de Estado da Saúde para área Hospitalar, Leonardo Inocêncio assinam termo de entrega (FOTO: BRAÚLIO PEDRO)

Meio milhão de dólares em medicamentos para o tratamento de 11 mil pessoas com Tuberculose e meios para vacinação foram entregues nesta quarta-feira, em Luanda, ao Ministério da Saúde pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com a Angop, o acto orientado pelo representante da OMS em Angola, Hernando Agudelo, visa contribuir no reforço das iniciativas do Governo de Angola de alargar os serviços de diagnóstico e tratamento da Tuberculose, para todas as unidades sanitárias do país.

Angola tem uma alta incidência da tuberculose, onde se registam entre 60 mil a 70 mil novos casos anualmente, sem contar os casos não reportados por falta de acesso aos serviços de saúde, segundo a OMS.

O país faz parte dos 30 países do mundo prioritários para o controlo da Tuberculose, conforme definição da OMS, em função da existência no país de três principais factores de risco: casos de tuberculose associados ao VIH-SIDA; tuberculose resistente a múltiplos medicamentos; e a co-infecção tuberculose – VIH.

Ao intervir no acto, Hernando Agudelo disse que Angola assumiu em 2018 perante a Assembleia Mundial da Saúde o compromisso de acabar com a tuberculose, tendo apelado a necessidade de se reforçar a alocação de fundos e intensificar a implementação da expansão dos serviços de diagnóstico, rastreios e tratamento.

Lamentou o facto de o país ganhar proporções altas com um taxa de 350 novos casos em mil habitantes, com um registo de 20 mil mortes em 2018.

“Este quadro preocupante da Tuberculose exige uma resposta acelerada e sustentável a todos os níveis, sob pena de continuarmos a assistir o aumento de casos e de mortes de cidadãos indispensáveis para o desenvolvimento do país”.

No acto foram também entregues duas viaturas para reforçar o Programa de Vacinação na província de Luanda, nos municípios de Belas e de Cacuaco, localidades densamente povoadas e com um vasto número de crianças menores de cinco anos sem acesso aos serviços de vacinação.

Em nome do Executivo, o secretário de Estado para Área Hospitalar, Leonardo Inocêncio, agradeceu a oferta da OMS pois desta forma vai colmatar as questões da tuberculose e de vacinação.

“Sabemos que a vacinação é um factor determinante para a questão de alcançarmos os Objectivos do Desenvolvimento do Milénio, uma meta que consta do PDN que visa a redução da mortalidade materna e infantil”, ressaltou.

Salientou que com estes meios se vai conseguir indicadores melhores de saúde com a cobertura de mais de 20 doenças que são preveníveis através da vacinação, referindo o esforço do Executivo que agora é responsável pela compra das vacinas que anteriormente eram subvencionadas pela GAVI.

O acto decorreu na sede do Ministério da Saúde e foi testemunhado por responsáveis e técnicos daquele organismo.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »