Portal de Angola
Informação ao minuto

Lenda da indústria automobilística americana morre aos 94 anos

(AFP/Arquivos / TIMOTHY A. CLARY) (2011) Iacocca participa de evento em Nova York

Lee Iacocca, considerado o pai do icónico Ford Mustang e famoso por salvar a Chrysler da falência, morreu nesta terça-feira, aos 94 anos, avança a France Press.

Iacocca iniciou a carreira no sector em 1946 na Ford, primeiro como engenheiro e depois nos departamentos de vendas e marketing.

No departamento de marketing demonstrou todo seu talento. Uma campanha criada por Iacocca na década de 1950 chamou a atenção da directoria da Ford, que o convocou a sua sede em Dearborn.

Iacocca obteve grandes resultados em vendas, especialmente com o Ford Mustang, que projectou em 1957.

Anos depois ficou famoso por aparecer em comerciais da Chrysler nos quais apontava o dedo para o espectador e pronunciava a frase: “Se você encontrar um carro melhor, compre”.

Ele chegou a rodar um anúncio em 2005 com o rapper Snoop Dog para promover carros da Jeep e da Chrysler.

Iacocca evitou a falência da Chrysler nos anos 1980, depois de ter sido demitido da Ford por Henry Ford II em 1978, apesar de seus excelentes resultados. Ele foi acusado de criar intrigas para chegar ao topo da empresa.

Em uma entrevista de 1992, ele rejeitou o papel de ‘Maquiavel’.

O resgate da Chrysler, para o qual conseguiu convencer o Congresso americano na obtenção de um empréstimo, o posicionou no topo da indústria automotiva mundial. Sob seu comando, a montadora americana criou a “minivan” e depois o SUV.

Suas críticas ao Japão, que por suas práticas comerciais, afirmava, destruíam empregos americanos, receberam apoio durante algum tempo dos sindicatos e dos democratas.

Mas as milhares de demissões que determinou no fim dos anos 1980 para voltar a resgatar a Chrysler criaram uma inimizade com o Partido Democrata.

Depois de abandonar a empresa no início da década de 1990, Iacocca tentou comprar a Chrysler com uma OPA (oferta pública de aquisição) hostil ao lado do bilionário Kirk Kerkorian, mas a iniciativa não teve sucesso.

Ele admitiu que a Grande Depressão dos anos 1930 o marcou profundamente ao deixar em ruínas sua família de imigrantes italianos.

“A Depressão me transformou em um materialista. Perseguia o dinheiro”, disse.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »