Portal de Angola
Informação ao minuto

Mais de 100 jovens ganham bolsas de estudo

Entrega simbólica de certificados (FOTO: ANTÓNIO ESCRIVÃO)

Cento e quatro jovens beneficiam de bolsas de estudo nas áreas de engenharia, em universidades francesas, com início marcado para o próximo ano lectivo francês, previsto para Setembro de 2019.

As bolsas representam a materialização da celebração do acordo assinado pelo Presidente da República, João Lourenço, aquando da sua visita a Paris em Maio de 2018.

Cada um dos bolseiros, escreve Angop, com todas as despesas pagas pelo Governo francês, gasta 15 mil euros ano.

O grupo de bolseiros, com viagem marcada para o mês de Julho, é constituído por 54 da empresa petrolífera Total E&P e 50 do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos, sendo 31 do sexo feminino.

Os estudantes, que serão distribuídos por 30 cidades, têm a formação garantida nas áreas de engenharia biológica, eléctrica, informática, térmica e energia, mecânica, produtiva, indústria, agro-alimentar.

Os jovens bolseiros estudavam no Instituto Nacional de Petróleos do Sumbe, Instituto Industrial de Luanda e nos Liceus Eiffel de Malanje, Ondjiva, Ndalatando, Caxito e do Colégio Elizangela Filomena.

Durante a cerimónia de outorga de bolsas, a Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço, madrinha dos bolseiros, considerou o investimento como garante do processo de desenvolvimento e uma mais-valia para o país.

Ana Dias Lourenço afirmou que nos próximos cinco a seis anos os beneficiários darão continuidade aos planos de desenvolvimento sustentável do país, aconselhando, por esta razão, os beneficiários a buscarem pela excelência, pois só assim o país poderá crescer e se tornar referência.

Por sua vez, o embaixador francês em Angola, Sylvain Itté, disse que o objectivo é apoiar a formação de jovens, contribuindo para a evolução do país.

“Neste momento 700 estudantes angolanos estudam em universidades francesas, 100 dos quais bolseiros. Com este grupo o número de bolseiros neste país europeu aumenta para 204”, fez saber.

O diplomata aproveitou a oportunidade para apelar a sensibilidade de mais empresas francesas a participarem em apoios do género, de forma a alargar o leque de parceiros.

Por seu turno, o secretário de Estado dos Petróleos, José Barroso, explicou que, depois da divulgação da abertura do concurso nas redes sociais, o processo de selecção começou com 600 candidatos. Na primeira fase foram apurados 300, sendo que 100 jovens, entre os 18 e 25 anos de idade, passaram no apuramento da embaixada de França. Os jovens foram submetidos a testes orais e escritos de matemática e física, por dois professores franceses.

O compromisso da Total com a educação e formação reporta aos anos 80 e ao longo destes anos financiou cerca de 360 bolseiros no exterior do país.

A empresa tem ainda acordos celebrados com a Universidade Agostinho Neto, com o Instituto Superior Politécnico de Tecnologia e Ciência e com o Instituto Nacional de Petróleos do Sumbe, que se traduzem no apoio técnico, na formação de professores e de estudantes, dos quais são provenientes muitos dos quadros que hoje trabalham na Total.

Em parceria com o Ministério da Educação, com a Missão Laica Francesa e a Embaixada de França em Angola construiu e financiou 4 escolas do segundo ciclo de ensino, os Liceus Eiffel, que estão localizados nas cidades de Caxito, Malanje, Ndalatando, Ondjiva

O acto contou ainda com a presença do director-Geral da Total, Olivier Juny, do secretário de Estado para o Ensino Pré-escolar e Geral, Pacheco Francisco, e do secretário de Estado para Tecnologia e Inovação, Domingos Neto.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »