Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Proibido uso de telemóveis no ensino geral em Cabinda

ESTUDANTES DO ENSINO GERAL EM CABINDA PROIBIDOS DE USAR TELEMÓVEIS NAS SALAS DE AULAS (FOTO: ANGOP)

As autoridades da província de Cabinda determinaram, nesta quarta-feira, a proibição do uso de telemóveis, de cabelo postiço e unhas artificiais por parte de estudantes durante as aulas, nas escolas do ensino geral.

A decisão saiu da I Reunião Ordinária do Conselho da Província, cujos membros defendem o resgate dos bons hábitos e costumes, a preservação da boa conduta, da indumentária, higiene, a moral e o civismo.

Às quartas e sexta-feiras, os estudantes dos diferentes níveis do ensino geral usam trajes tradicionais de forma obrigatória, no âmbito das medidas implementadas na província para a valorização da indumentária tradicional, o resgate dos usos e costumes tradicionais.

No comunicado final saído na reunião a que a Angop teve acesso, se recomenda a Secretaria Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia para se manter firme quando ao cumprimento das medidas aprovadas.

Os membros do Conselho orientaram ainda a Secretaria Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia e o Gabinete de Inspecção para o rigor na fiscalização e acompanhamento dos métodos de distribuição da Merenda Escolar nas escolas do ensino primário nos quatro municípios da província.

Em relação a fiscalização e controlo mais eficaz na exploração de mineiros e da madeira, os membros do Conselho do Governo Provincial recomendaram a necessidade de se dotar os órgãos da fiscalização com meios humanos e técnicos, enquanto a administração municipal de Buco-Zau a reunir com os responsáveis das empresas exploradoras ( Mongo-Mongo, Cabinveste e Mineração Buco-Zau) para esclarecimentos sobre o processo de prospecção do ouro e da madeira cerrada.

O município de Buco-Zau, cerca de 120 quilómetros a norte de Cabinda, possui ricos recursos minerais, com destaque para o ouro e manganésio, para além de contar com parte de floresta do Maiombe, onde é exercido, com maior frequência, a exploração das variedades espécies de madeiras mais caras do mundo, nomeadamente a tola branca, ndianuno, livuite, cambala, pau rosa, menga menga e outras.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »