Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Morreu a actriz francesa Edith Scob

(DR)

Fama ao Minuto|Lusa

Edith Scob trabalhou com o realizador português Pedro Costa no filme “Casa de Lava”, de 1995.
A atriz francesa Edith Scob, que fez teatro e cinema e trabalhou com realizadores como Georges Franju, Raoul Ruiz e Pedro Costa, morreu esta quarta-feira, em Paris, aos 81 anos, revelou o agente.

“De forma discreta, mas segura, o rosto magro e a figura frágil atravessaram o cinema francês”, escreveu a agência noticiosa France Press, a propósito da actriz, com 60 anos de representação.

Em 1958 fez a estreia nos palcos com a peça “Don Juan”, encenada por Georges Vitaly, e, no ano seguinte, com 22 anos, estreava-se no cinema em “Os muros do desespero”, de George Franju, pioneiro do cinema fantástico.

Nascida em Paris, em 1937, Edith Scob voltou a trabalhar com este realizador noutros filmes, nomeadamente “O pecado de Teresa” (1962) e “Olhos sem rosto” (1960), que a popularizou e no qual tinha o rosto coberto por uma máscara.

A actriz, que nos anos 1960 fundou uma companhia de teatro vanguardista em Bagnolet, nos arredores de Paris, juntamente com o marido, o compostor Georges Aperghis, trabalhou ainda com Julien Duvivier, Andrzej Zulawski, Christophe Gans, Patrice Leconte, Olivier Assayas e Leo Carax.

Outro dos realizadores com quem mais trabalhou foi Raoul Ruiz, em filmes como “O Tempo Reencontrado” (1998), “Comédie de l’innocence” (2000) e “Le Domaine perdu” (2005).

Edith Scob trabalhou ainda com o realizador português Pedro Costa no filme “Casa de Lava”, de 1995.

Nos palcos, Edith Scob participou em dramaturgias, entre outros, de Molière, Ibsen, Beckett, Racine, Shakespeare e Tchekov.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »