Portal de Angola
Informação ao minuto

IGAPE “fecha” venda de quatro fábricas

(DR)

Expansão

Nesta primeira fase já só estão empresas nacionais a concorrer à privatização de sete fábricas da Zona Económica Especial. Preços oferecidos demasiado baixos “atiram” duas fábricas para a próxima fase de privatização.

Apenas quatro das sete unidades industriais integradas na Zona Económica Espacial (ZEE) colocadas na primeira fase do processo de privatização a cargo do IGAPE (Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado) estão com negócios fechados, enquanto uma está ainda em negociação e outras duas, com ofertas muito abaixo valor pretendido deverão passar a uma segunda fase do processo de privatização.

Nesta primeira fase, estão a ser privatizadas as empresas Univitro (indústria de transformação de vidro), Juntex (indústria de argamassa), Carton (indústria de cartonagem), Absor (indústria de absorventes), Indugidet (indústria de produtos de higiene e detergentes), Coberlen (Indústria de cobertores) e Saciango (Indústria de sacos de cimento).

No âmbito do concurso, as unidades industrias, com preços que vão dos 3 aos 18 milhões USD, já só tem nove empresas nacionais internacionais: A ICC-Angola, Agoalissar, Angozara, Zeepack, Glopol, Azoria, Angocap, Ecoindustry e NobleGroup.

Apesar de não adiantar datas para a conclusão do processo, o administrador executivo do IGAPE, Gilberto Luther, garantiu que o processo está na sua fase final e que nos próximos dias poderão ser anunciados os vencedores.

Entretanto, o IGAPE anunciou que já foram concluídas a selecção das próximas 23 unidades industriais a privatizar numa segunda fase, com o concurso público a ser lançado nos próximos dias.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »