Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Pai e filha bebé morrem a atravessar rio para chegar aos EUA

(AFP/Arquivos / Paul Ratje) Imigrantes cruzam o rio Grande entre Ciudad Juarez, México, e El Paso, Texas, em 29 de abril de 2019

O acordo entre o México e os EUA não travou a vaga de migrantes que tentam alcançar território norte-americano. Uma travessia perigosa, alimentada pela esperança de encontrar melhores condições de vida. Esta segunda-feira, foram encontrados os corpos de pai e filha, que terão morrido quando atravessavam o rio que traça a fronteira, escreve o JN.

Segundo as autoridades do México, as duas vítimas são de El Salvador, o homem tem 25 anos e a filha apenas um ano e 11 meses de idade. Terão morrido afogados durante a travessia do Rio Grande para conseguir chegar aos Estados Unidos.

Em 7 de junho, México e Estados Unidos anunciaram um acordo. Para além do envio de forças policiais e militares para as fronteiras do país, o México comprometeu-se a acelerar o regresso ao país de origem dos migrantes, enquanto o seu pedido de asilo for teoricamente analisado nos Estados Unidos.

No âmbito do acordo, o México deslocou cerca de 15 mil polícias e militares para a fronteira com os Estados Unidos para travar a imigração ilegal, segundo o ministro da Defesa, Luis Cresencio Sandoval.

“Entre a Guarda Nacional e membros do exército, existe um envio total de perto de 15 mil homens para o norte do país”, declarou o ministro durante uma conferência de imprensa, na segunda-feira, na companhia do presidente Andrés Manuel López Obrador.

Ao ser interrogado sobre a possibilidade de o exército e a Guarda Nacional – que integra militares e polícias federais – não apenas intercetarem migrantes durante a sua travessia em território mexicano, mas também proceder à sua detenção quando tentarem atravessar a fronteira, o ministro confirmou essa disposição.

“Considerando que a migração [clandestina] não é um crime, mas um delito administrativo, vamos detê-los e remetê-los à disposição das autoridades” migratórias, indicou o ministro.

As forças de segurança procedem regularmente a detenções de migrantes clandestinos em território mexicano, mas é raro que ocorram junto à fronteira com os EUA.

O ministro da Defesa mexicano também precisou que 6500 homens foram deslocados para a fronteira sul com a Guatemala, para impedir a passagem de milhares de migrantes da América central que procuram alcançar os Estados Unidos, em fuga da miséria e da violência nos seus países.

No final de maio, o presidente norte-americano Donald Trump ameaçou impor taxas alfandegárias sobre todos os produtos mexicanos importados para os EUA caso o México não adotasse medidas para travar a vaga de migrantes.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »