Portal de Angola
Informação ao minuto

“Garimpeiros continuam a ser mortos na Lunda Norte” – Protectorado Lunda Tchokwe

Garimpeiros procuram ouro nas montanhas que circundam a cidade de Manica, Moçambique, 14 de janeiro de 2012. À minúscula e montanhosa cidade de Manica, na província com o mesmo nome, no centro de Moçambique, onde circulavam luxuosas viaturas importadas, está a "retornar o rosto de pobreza" devido ao "bloqueio de contrabando de diamantes" do Zimbabué. (ACOMPANHA TEXTO) ANDRE CATUEIRA / LUSA)

VOA | Manuel José

Garimpeiros continuam a ser mortos na província da Lunda Norte e os corpos abandonados nas matas, acusou José Mateus Zecamutchima, coordenador do Movimento do Protectorado das Lundas que luta pela autonomia da região.

Zecamutchima acusa os militares das forcas armadas de serem os autores destas mortes sobretudo em no Cuango, Cafunfo, Calonda e Cambulo afirmando haver uma presença “massiva” das forças armadas na região “como se estivéssemos em estado de sítio”.

A justificação é a Operação Transparência, disse ainda o dirigente daquele movimento para quem “são estas forcas militares as responsáveis por estas mortes de garimpeiros, depois destes tirarem o cascalho, na hora da lavagem essas forcas matam os garimpeiros e ficam com os diamantes”.

“É isto que se passa aqui”, acrescentou.

Zecamutchima diz que tentou contactar o presidente da republica para
levar um relatório fiel do que se passa na região das Lundas mas há quem impeça esse encontro.
“É nossa pretensão abordar o presidente João Lourenço por causa da situação das Lundas mas tem havido à volta do presidente uma serie de bajuladores que não permitem que isso aconteça”, disse.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »