Portal de Angola
Informação ao minuto

Data Center garante soberania dos dados nacionais

Imagem ilustrativa (DR)

Angop

O presidente da comissão executiva da ITA, Rolf Mendelsohn, defendeu hoje, em Luanda, mais investimentos em “data center”, por garantir a segurança e a soberania de dados nacionais.

“A ITA é um provedor de serviços de internet e telecomunicações que tem como prioridade para 2019 a construção de um novo “data center” de 180 bastidores, até fim do mês de Agosto, com custo não superior a 10 milhões de dólares”, adiantou o responsável.

O gestor, que falava no último dia da 10ª edição da Feira ANGOTIC 2019, salientou que os data center, além de propiciar a retenção de divisas para o país, garantem a segurança e principalmente a soberania dos dados nacionais, porque quanto mais longe os dados estiverem guardado maior será a latência (morosidade de acessibilidade dos conteúdos).

Para si, a construção desta base de dados vai trazer para os angolanos um sítio fiável e seguro para alojar os seus conteúdos na “cloud” (nuvens), desde os bancos, seguradoras, entidades do Estado e as start up pelo volume de produção de ups.

Disse ser um imperativo aumentar essas infra-estruturas, pelo facto dos data center serem uma espécie de cérebro para comunicação, pois há cada vez mais utilizadores de smartphones, tabletes, laptops, entre outros dispositivos.

A ITA garante em todo país uma fiabilidade mínima de rede de 99,5%, que significa 3,6 horas a baixo por mês, nas piores circunstâncias, porquanto a velocidade em África ainda está longe da desejada.

“As velocidades em África ainda continuam ser as mais lentas do que nos países desenvolvidos, daí que nós os provedores temos que investir mais para aumentar as velocidades que oferecemos aos utentes”, disse.

Para si, o que vai alavancar o sector é a concorrência saudável, cabos adicionais submarinos e a partilha de infra-estruturas entre os intervenientes.

Actualmente a ITA cobre todo país por satélite, a nível de wireless e fibra óptica, faltando apenas cobrir quatro províncias.

A empresa já tem um data center de 36 bastidores já cheio, daí ter dado inicio a construção de um segundo. Esse segundo data center, que entra em operação em Agosto próximo fica cheio dentro de quatro anos.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »