Portal de Angola
Informação ao minuto

Manifestantes se reúnem na Justiça Federal para declarar apoio a Moro e à Lava Jato

(Foto: Colaboração)

Band B

Ato acontece uma semana após o vazamento de conversas entre o ministro e o procurador Deltan Dallagnol

Um grupo de manifestantes se reuniu em frente à Justiça Federal de Curitiba, no bairro Ahú, para declarar apoio ao ex-juiz e atual ministro, Sérgio Moro, e também à Operação Lava Lato.

A mobilização aconteceu na tarde de domingo (16), uma semana após o site ‘The Intercept’ divulgar uma série de diálogos de Moro com o procurador Deltan Dallangnol que colocariam em dúvida a atuação do juiz nos processos da operação.

Para Patrick Ignaszevski, do movimento República de Curitiba, a tentativa desses diálogos é a de destruir a imagem de Moro e Dallagnol. “Nós nem sabemos se essas mensagens são verdadeiras e elas tentam mostrar que a Lava Jato tem lado, o que não é verdade. Nosso ato hoje é para demonstrar que queremos que esse hacker seja enquadrado diante das leis do nosso país. Nós acreditamos na Lava Jato e no juiz Sérgio Moro”, disse.

Luiz Carlos Alborghetti Neto disse que outro objetivo da mobilização é a de convocar a população para os protestos de apoio a Moro no dia 30. “Viemos divulgar o ato que será muito maior e em todo o Brasil. Aqui em Curitiba estaremos na Praça Santos Andrade e hoje já recebemos um apoio muito positivo e com várias buzinas”, comentou.

Ao longo da semana, o ‘The Intercept’ divulgou uma série de mensagens que teriam sido trocadas por Moro e Dallagnol. Entre elas, estariam informações de que o procurador teria repassado informações sigilosas fornecidas pelos delatores da empresa ao Ministério Público e recebeu conselhos sobre a melhor forma de encaminhá-las. Moro também teria sugerido que a força-tarefa divulgasse nota para rebater críticas da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Durante a semana, Moro se defendeu e garantiu que não cometeu nenhuma ilegalidade. “Eu não cometi nenhum ilícito. Estou absolutamente tranquilo em relação a todos os atos que cometi enquanto juiz da Lava Jato. Eventualmente, pode ter havido algum descuido formal, mas, enfim, isso não é nenhum ilícito”, disse o ministro.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »