Portal de Angola
Informação ao minuto

“Clima de terror”. Noviças escravizadas sofriam ameaças contra famílias

Padre Joaquim Milheiro, de 87 anos, é acusado de consentir escravidão de noviças (Foto: Miguel Pereira/Global Imagens)

Acusação do Ministério Público descreve 30 anos de “terror”, trabalhos forçados, agressões com chicote e “castigos divinos” na Fraternidade Missionária Cristo Jovem.

Maria tinha 15 anos quando chegou à Fraternidade Missionária Cristo Jovem, em Requião, Famalicão, e dali só saiu em 2013, já com 24 anos. Fugiu numa noite.

De acordo com o JN, durante os cerca de nove anos em que ali esteve, foi agredida com bofetadas só porque não acorreu de imediato quando uma das religiosas a chamou, ou porque se queixou de não ter comido alguns alimentos que a mãe lhe havia levado.

Apenas porque não tinha um saco de pão e uma camisa no sítio, foi sovada com uma esfregona, cujo cabo partiu. E também foi obrigada a ir de joelhos da entrada da casa até ao portão da instituição.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »