Portal de Angola
Informação ao minuto

As 10 tendências para as redes sociais em 2019

(DR)

Por Valdemar Vieira Dias

As redes sociais têm estado a evoluir bastante no seu funcionamento. Os seus proprietários pretendem com estas inovações proporcionar melhores experiências aos seus usuários desde (1) a usabilidade; (2) a interação entre os utilizadores; (3) os recursos de criação, edição e efeitos sobre conteúdos; (4) a segurança, (5) dentre outras.

A segurança tem sido um grande problema no que concerne, essencialmente, os dados pessoais dos utilizadores e na censura à utilização/partilha de conteúdos inadequados.

A empresa americana Epsilon Technologies na sua pesquisa a mais de 1500 marcas de grande consumo e retalho e dados recolhidos através do Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e LinkedIn aponta para 10 tendências a ter em atenção no mundo das redes sociais em 2019. As conclusões do estudo envolvem chatbots e microinfluenciadores mas também conceitos como eGames e eSports:

  1. O Instagram vai consolidar a sua liderança, colocando cada vez mais o Facebook em segundo plano. A ferramenta Instagram Stories será particularmente importante em 2019;

  2. O Facebook mantém o posto de rede com mais utilizadores, ainda que perca relevância. Somente os artigos informativos com valor para os utilizadores e os conteúdos criativos terão espaço para crescer e captar interesse;

  3. O YouTube, por seu turno, continuará a ser a principal plataforma digital quando o assunto é vídeo. Prevê-se que ganhe importância enquanto meio de influência relativamente a processos de compra, através de vídeos de reviews, críticas e comentários a produtos e serviços;

  4. Passando para o Twitter, a Epsilon percebeu que poderá ser uma boa ferramenta de atendimento ao cliente e que crescerá em áreas como eSports e eGames. Também se assumirá como um segundo ecrã de televisão;

  5. Outra das tendências para este ano envolve o recurso a sorteios de produtos e conteúdos de valor acrescentado, como receitas, tutoriais e sugestões, para criar uma ligação mais próxima com os consumidores;

  6. Tendo como ponto de partida as Instagram Stories, o marketing em tempo real ganha espaço, uma vez que permite captar a atenção dos consumidores de forma mais eficaz;

  7. Influenciadores, microinfluenciadores e embaixadores de marca serão os aliados perfeitos para gerar “word of mouth”, ou seja, passa a palavra entre consumidores. A Epsilon acredita que 2019 será o ano dos microinfluenciadores, já que quanto mais definido for o target, maior é a eficácia;

  8. Os chatbots, por seu turno, serão uma peça vital no campo da automatização de processos, resultando em maiores níveis de eficácia: 40% das empresas com mais de 500 funcionários já implementaram ou vão implementar este ano um chatbot;

  9. Os eGames e os eSports devem ser encarados como novos protagonistas nas rede sociais em 2019 e valorizados adequadamente;

  10. Por fim, a Epsilon indica que as estratégia de cobranding, as datas comemorativas (feriados e efemérides, por exemplo) e a responsabilidade social corporativa serão cruciais para aumentar o impacto das marcas e captar potenciais utilizadores e/ou clientes.

A 10ª tendência já tem sido muito aplicada cá em Angola por algumas empresas. Estas já se deram conta que estes conteúdos de facto impactuam sobre os seguidores, potenciais clientes e/ou clientes. E está estratégia é recomendada principalmente para aquelas empresas que pela especificidade da sua actividade têm dificuldades em produzir conteúdos.

A 8ª tendência também já se tem visto e é ideal para aquelas empresas que têm uma interação muito activa com interessados ou clientes, reduzindo assim o tempo de espera nas respostas. Por exemplo para aquelas perguntas mais frequentes ao invés do solicitante esperar 24h pelas respostas, com a automação o acesso às respostas poderá ser no mesmo instante.

Particularmente acho a 5ª tendência estrategicamente interessante visto que bem aplicada converte bastante. Hoje os potenciais clientes e/ou clientes sentem-se como parte integrante das empresas, querem ser “tidos” e “achados” na vida diária das companhias. E aqui dou um exemplo real de uma empresa de restauração que era muito frequentada pelo seu bom atendimento, gastronomia, música ao vivo e fundamentalmente pelo ambiente ou cenário rústico/informal/descontraído bastante apreciado pelos clientes, que na sua boa intenção de alargar o leque de serviços e oferecer melhor comodidade e outras diferentes experiências aos seus clientes mudou para instalações mais “xpto” e tal, mas o facto é que a afluência dos clientes reduziu consideravelmente.

Qual a experiência que sai daqui? As pessoas identificavam-se com o primeiro cenário por se sentirem mais a vontade e desinibidas ao contrário do segundo. Deste modo, caso tenha um negócio parecido e queira implementar qualquer melhoria que tenha impacto sobre o seu cliente não hesite, peça sugestões a ele.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »