Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

R. Kelly alvo de 11 novas acusações de abuso sexual

R. Kelly negou todas as acusações de abuso sexual em entrevista à CBS (DR)

O cantor R. Kelly está a ser acusado de mais queixas de abuso sexual agravado, relacionado com um caso já existente. Se for condenado, poderá enfrentar seis a 30 anos de prisão, de acordo com a legislação do Estado do Illinois.

Em causa está o abuso e a agressão sexual de uma menor de idade entre os 13 a 16 anos, sendo que algumas destas acusações são as mais graves do Illinois, podendo incorrer numa sentença de seis a 30 anos.

“Ele foi acusado novamente com um caso já existente, a mesma suposta vítima e a mesma data (…) Não muda nada”, disse Steve Greenberg, o advogado de R. Kelly no Twitter.

Jerhonda Pace, a alegada vítima, replicou na mesma rede social: “Sim, tenho conhecimento das 11 novas acusações contra R. Kelly. Sim, todas as novas acusações estão relacionadas com o meu caso”.

E insiste: “a lei está do meu lado, [era] uma menor na altura”.

Segundo a RTP, Já no início do ano o cantor norte-americano tinha enfrentado dez acusações de abuso sexual agravado, que envolviam quatro alegadas vítimas – a maioria menores – durante o período entre 1998 e 2010. O cantor declarou-se inocente perante o tribunal e foi libertado após o pagamento da caução de um milhão de dólares. Porém, caso tivesse sido condenado, enfrentaria penas de três a sete anos de prisão.

Durante décadas, várias mulheres acusaram R. Kelly de abuso sexual e mesmo de pedofilia, mas não houve acusações formais. No mês de janeiro, foi publicada uma série documental, Surviving R. Kelly (Sobreviver a R. Kelly), em que alegadas vítimas partilharam as suas experiências.

Porém, o cantor negou todas as negações numa controversa entrevista para a CBS News.
Quem é R. Kelly?

R. Kelly é considerado um dos mais bem sucedidos artistas de R&B nos Estados Unidos desde os anos de 1980. É um dos que mais álbuns venderam (mais de 32 milhões), ganhando o título de “Rei do R&B”. O cantor é particularmente conhecido a nível mundial pela canção “I Believe I Can Fly”.

Em 1994, o cantor, na altura com 27 anos, casou ilegalmente com Aaliyah Haughton, de 15. Em 2002, R. Kelly foi acusado de pornografia infantil, após a circulação de um vídeo em que o cantor tinha relações sexuais com uma menor, incluindo urinar em cima dela. Porém, não foi condenado.

Desde os anos 90, enfrenta também várias acusações de abuso sexual e pedofilia, pelo que as mais recentes acusações não surpreendem pessoas na indústria da música. “Estas histórias estão a circular há muito tempo. Estas revelações não são novas para ninguém”, disse à BBC Chris Cooke, o editor do serviço de notícias Complete Music Update.
Boicote à música de R. Kelly

A plataforma de streaming Spotify retirou as canções do cantor das suas playlists, mas cedo voltou atrás na decisão.

Vários artistas, como Ne-Yo e John Legend pediram um boicote à música do artista, utilizando a hashtag #MuteRKelly (Calem R. Kelly), para que as suas canções fossem eliminadas nas plataformas de música online, nas rádios e em concertos, entre outros.

O movimento #MuteRKelly acabou mesmo por nascer, o que iniciou o debate sobre se o apoio devia ser retirado aos artistas acusados de abuso sexual.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »