Radio Calema
InicioAngolaSociedadeGoverno repõe infra-estruturas encerradas por garimpeiros

Governo repõe infra-estruturas encerradas por garimpeiros

Angop

As infra-estruturas sociais construídas e encerradas pelos garimpeiros de diamante, na sua maioria estrangeiros, repatriados no âmbito da Operação Transparência em curso no país, estão a ser respostas pelo Governo, com vista a melhoria das condições sociais da população.

Ao confirmar o facto hoje à imprensa, o porta-voz do Posto de Comando Avançado da Operação Transparência, comissário António José Bernardo, disse que os empreendimentos, entre sanitários e escolares, foram construídos pelos exploradores ilegais em algumas províncias e encerradas por eles, tão logo foram orientados a abandonar a actividade.

De acordo com o oficial, dada a importância das infra-estruturas, incluindo de transporte, o Governo tem criado condições para sua reposição, em benefício das comunidades próximas às zonas de exploração diamantífera.

Noutra parte da entrevista, o responsável disse que a coordenação da operação, em colaboração o Ministério dos Recursos Mineiras e Petróleo e a ENDIAMA, tem promovido campanhas de sensibilização junto das cooperativas, para que a exploração dos minerais seja feita com maior racionalidade, para o bem-estar das actuais e futuras gerações.

Considerou positiva a participação e a colaboração da população na execução da Operação Transparências, contribuindo, desta feita, para o êxito da mesma, ao perceber que o país estava a ser invadido e a riqueza nacional delapidada, de forma gratuita.

Neste sentido, acrescentou que os órgãos de defesa e segurança nacional têm estado a receber informações suficientes da parte da população, além de impedir a invasão das zonas de exploração por parte de cidadãos não autorizados.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.