- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Portugal Governo acorda com BE e PCP a criação do estatuto do cuidador...

Governo acorda com BE e PCP a criação do estatuto do cuidador informal

Público | Alexandra Campos

Proposta do executivo previa apenas medidas de apoio, o que mereceu muitas críticas. Descanso de cuidadores e garantia de carreira contributiva estão previstos no texto.

O Governo aceitou criar o Estatuto do Cuidador Informal, que estabelece os direitos e deveres das pessoas que cuidam de familiares dependentes (idosos, pessoas com demência ou doenças crónicas, crianças com patologias graves) em casa. O PS, o Bloco de Esquerda e o PCP chegaram a um acordo que resultou num texto de substituição que prevê a criação deste estatuto, o qual não estava contemplado na proposta inicial do Governo – esta previa apenas medidas de apoio e foi por isso muito contestada pelas associações que representam os cuidadores informais.

Alia quer mostrar que as muçulmanas não são “tristes mulheres de véu”, nem precisam “de ser salvas”
Os três partidos coseram aspectos das diferentes propostas – o Bloco de Esquerda, que desde o início reclama a criação de um estatuto, e o PCP entregaram projectos de lei sobre esta matéria há um ano – e fica prevista, entre outras coisas, a possibilidade de os cuidadores que deixam de trabalhar poderem continuar a ter uma carreira contributiva. O que hoje acontece é que aqueles que deixam de trabalhar para cuidar em casa de familiares acabam por ficar sem direito a reforma.

Outra questão essencial é o direito ao descanso dos cuidadores, sem que estes tenham que pôr necessariamente os familiares na rede de cuidados continuados para este fim. Fica previsto o direito ao descanso através do apoio domiciliário e também em lares de idosos. E aqui a novidade face à proposta inicial do Governo é que se muda a fórmula de cálculo da comparticipação que as famílias pagam e que actualmente pode ir até aos 30 euros por dia, explica José Soeiro, do Bloco de Esquerda.

“Estamos a criar um enquadramento legal que não existia. Este é um instrumento que reconhece a existência dos cuidadores informais e lhes confere um conjunto de direitos. Esta é uma vitória muito grande dos cuidadores informais”, sublinha o deputado. O BE sempre defendeu que só um estatuto poderia dar resposta aos problemas mais prementes destas pessoas. Mas o Governo não queria ir por aí. Também o PCP não previa no seu projecto de lei a criação deste estatuto. Já o PSD, CDS e PAN apresentaram outros projectos de lei prevendo a criação do estatuto.

A proposta fica aquém do que o BE pretendia e do que os cuidadores informais reclamam. Mas no próprio texto sublinha-se que o estatuto pode ser revisto e densificado no futuro. “Este é um passo, não chegamos à meta, mas é um passo importante”, sublinha José Soeiro.

O que resulta deste acordo entre os três partidos é, assim, um texto de substituição que define várias medidas, a maior parte das quais já anunciadas pelo Governo. Uma das mais aguardadas pelos cuidadores, a criação de um subsídio de apoio a atribuir mediante condição de recursos, vai ser testada em projectos-piloto com 12 meses de duração, projectos que ainda não avançaram.

Alterações ao Código do Trabalho ficaram de fora
A proposta prevê dois tipos de cuidador informal – o “principal” que é o cônjuge ou unido de facto, parente até ao 4.º grau da pessoa cuidada, que cuida desta de forma permanente e não recebe qualquer remuneração. E o “não principal”, o familiar que acompanha a pessoa de uma forma regular mas não permanente.

Quanto às pessoas cuidadas, há três universos contemplados: as que têm direito a complemento por dependência de 2.º grau ou de subsídio por assistência a terceira pessoa, mas ainda de complemento por dependência de 1.º grau, esta última mediante avaliação especifica dos serviços de verificação e incapacidade da segurança social.

Mas há questões determinantes para o BE que não ficam incluídas: as alterações ao Código do Trabalho (para que seja possível que os cuidadores possam trabalhar a tempo parcial, ou ter um horário flexível, por exemplo) e o reconhecimento retroactivo dos direitos a carreira contributiva para pessoas que deixaram de trabalhar para cuidar dos dependentes em casa. “São duas dimensões muito importantes que vamos apresentar de qualquer forma, mas não conseguimos que ficassem consagradas”, diz José Soeiro.

Em Portugal a única estimativa conhecida até à data sobre os cuidadores informais calcula que sejam mais de 800 mil pessoas, cerca de 200 mil das quais a tempo inteiro. São maioritariamente mulheres entre os 45 e os 70 anos, mas também há filhos que cuidam dos pais.

- Publicidade -
- Publicidade -

Paulo de Carvalho: Professores devem ser avaliados anualmente

Uma língua é um património social, não dependendo de caprichos de ninguém a sua alteração. Concorda com essa afirmação, que, aliás, é uma das...
- Publicidade -

TC confirma auditoria à gestão do BPC

O Tribunal de Contas (TC) admitiu, este sábado, a realização de auditoria à gestão do Banco de Poupança e Crédito (BPC), mas negou que...

MPLA “afina” máquina para próximos desafios eleitorais

O MPLA está a apostar na melhoria da sua máquina organizativa e no aperfeiçoamento da capacidade de mobilização, para enfrentar e vencer os desafios...

Caso 900 milhões: Irene Neto com contas congeladas e bens apreendidos em Angola

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou hoje ao Novo Jornal que as contas de Irene Neto, filha do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto,...

Notícias relacionadas

Paulo de Carvalho: Professores devem ser avaliados anualmente

Uma língua é um património social, não dependendo de caprichos de ninguém a sua alteração. Concorda com essa afirmação, que, aliás, é uma das...

TC confirma auditoria à gestão do BPC

O Tribunal de Contas (TC) admitiu, este sábado, a realização de auditoria à gestão do Banco de Poupança e Crédito (BPC), mas negou que...

MPLA “afina” máquina para próximos desafios eleitorais

O MPLA está a apostar na melhoria da sua máquina organizativa e no aperfeiçoamento da capacidade de mobilização, para enfrentar e vencer os desafios...

Caso 900 milhões: Irene Neto com contas congeladas e bens apreendidos em Angola

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou hoje ao Novo Jornal que as contas de Irene Neto, filha do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto,...

Cidadão mata amigo após desentendimento

Uma briga entre amigos resultou na morte, com bloco de construção civil, de um adolescente de 17 anos de idade, praticado por outro já...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.