Portal de Angola
Informação ao minuto

Procurador mexicano confirma ordem de prisão de ex-director da Pemex

O ex-CEO da Pemex Emilio Lozoya (Arquivo) (AFP / ALFREDO ESTRELLA)

O procurador-geral do México confirmou nesta quarta-feira que foi emitida uma ordem de prisão do ex-diretor da estatal Petroleos Mexicanos (Pemex) Emilio Lozoya, acusado de uso ilegal de fundos procedentes da questionada compra de uma fábrica de fertilizantes desativada.

“O crime fundamental é o uso ilegal de fundos que vêm de uma situação que não é legítima”, disse o procurador Alejandro Gertz à emissora local Televisa, conforme aponta a AFP.

Outro dos envolvidos no caso, o diretor da siderúrgica Altos Hornos de México, Alonso Encira, que vendeu a fábrica à Pemex, foi preso nesta terça pela polícia espanhola no aeroporto de Palma de Mallorca quando ia deixar o país.

Lozoya, colaborador próximo do ex-presidente Enrique Peña Nieto (2012-2018), é acusado de ter autorizado a compra da fábrica por cerca de 500 milhões de dólares quando era diretor da Pemex, um preço excessivo em vista do mau estado de suas instalações, segundo o governo e a opinião de especialistas da indústria.

Gertz explicou que a acusação contra Lozoya surgiu de uma denúncia do representante legal da Pemex, que apontou uma série de prejuízos patrimoniais à empresa resultante de uma cadeia criminosa que a promotoria vem investigando desde março.

“No momento em que já tínhamos todos os elementos, fomos e apresentamos perante o juiz a necessidade de um mandado de prisão a ser emitido”, acrescentou o promotor.

Gertz disse que não sabia o paradeiro de Lozoya. “Eu gostaria de saber”, disse o procurador, apesar de o advogado de defesa Javier Coello ter dito que seu cliente está no México.

Lozoya renunciou à Pemex, a maior empresa pública do México, mergulhou em sérios problemas financeiros, em meio a alegações de que teria recebido subornos milionários da empresa brasileira Odebrecht, que teriam sido destinados à campanha que levou Peña Nieto à Presidência. O ex-funcionário negou as acusações.

Lozoya é o primeiro alto funcionário a ser investigado pelo governo de Andrés Manuel López Obrador, que assumiu a Presidência com o compromisso de erradicar a corrupção no México.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »