Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Harvey Weinstein. Acordo de 44 milhões com vítimas de abusos sexuais

Produtor Harvey Weinstein (Foto Alec Tabak/reuters)

Um dos mais famosos produtores cinematográficos de Hollywood, Harvey Weinstein, chegou a um acordo com as mulheres que o acusam de conduta sexual imprópria. Cerca de 44 milhões de dólares para compensar as alegadas vítimas e resolver as acções legais.

Os advogados de Harvey Weinstein confirmaram que têm um acordo que será financiado não por este, mas pela apólice de seguro. 14 milhões serão direcionados para as custas judiciais e os restantes 30 milhões serão entregues às alegadas vítimas, credores e antigos trabalhadores da Weinstein Company, o estúdio cinematográfico de Weinstein.

Adam Harris, o advogado de Bob Weinstein, o irmão de Harvey, afirmou que o acordo “permite que as diferentes partes envolvidas evitem anos de dispendiosos, morosos e (…) litigações incertas de todas as partes”.

O produtor nega ter abusado sexualmente das mais de 75 mulheres que o acusaram, mas fez um pedido de desculpas em 2017, dizendo: “Compreendo que a forma como me comportei com colegas no passado tenha causado muita dor, e peço as minhas mais sinceras desculpas por isso. A minha jornada será agora para aprender sobre mim e conquistar os meus demónios”.

Poderoso de Hollywood, vencedor de vários Óscares

Harvey Weinstein é um dos mais famosos produtores de cinema em Hollywood, tendo produzido inúmeros filmes, como o Discurso do Rei, Pulp Fiction, e Django Libertado.

No ano de 2005 abandonou a Miramax Films, que co-fundou, e em conjunto com o seu irmão Bob criou o estúdio cinematográfico Weinstein Co. Empresa da qual foi subsequentemente despedido após as acusações, e que viria a declarar falência em 2018.

Os filmes que produziu receberam, na totalidade, mais de 81 Óscares.

Escândalo sexual em Hollywood – #Metoo

Em Outubro de 2017, o jornal norte-americano The New York Times denunciou as alegações feitas por várias mulheres sobre os alegados abusos de Weinstein, como foi o caso das atrizes Ashley Judd e Rose McGowan. Deste então, mais de 70 mulheres acusaram o produtor.

As acusações incluem violações, assédio, intimidação e chantagem contra as carreiras das actrizes caso estas se recusassem a oferecer-lhe favores sexuais.

Com a revelação de chocantes situações que se terão prolongado durante décadas, o movimento #Metoo foi criado, com o intuito de demonstrar a gravidade e persistência de abuso sexuais, em particular no local de trabalho.

As várias mulheres alegam terem sentido maior apoio e encorajamento para revelarem os seus relatos, sabendo que não foram as únicas a passar por tal situação. Este movimento terá encorajado centenas de mulheres a acusarem homens em posições de proeminência.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »