- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Brasil Desfile de crianças para adoção gera revolta no Brasil

Desfile de crianças para adoção gera revolta no Brasil

RTP|Lusa

Crianças e adolescentes de 4 a 17 anos, aptos a serem adotados, desfilaram num centro comercial no estado brasileiro de Mato Grosso para uma plateia de possíveis adotantes, um evento que gerou revolta nas redes sociais.

O desfile, denominado “Adoção na Passarela”, foi promovido pela Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (AMPARA), em parceria com Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da Ordem dos Advogados do Brasil do Mato Grosso (OAB-MT), e tinha como intuito dar visibilidade a menores aptos para adoção.

No entanto, o evento gerou controvérsia e foi alvo de duras críticas.

“A “passarela da adoção”, em Cuiabá (Mato Grosso), expondo crianças de 4 a 17 anos para a escolha dos pretendentes pais é de uma perversidade inacreditável. Os efeitos psicológicos da exposição, expectativa e frustração dessas crianças pode ser devastador, ainda que a intenção tenha sido outra”, argumentou o ex-candito à Presidência do Brasil pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Guilherme Boulos, na rede social Twitter.

Também a ex-candidata a vice-presidente do Brasil pelo Partido dos Trabalhadores nas eleições de outubro passado, Manuela d`Ávila, declarou o seu desagrado com a iniciativa.

“Acho que essa é uma das notícias mais tristes que li. Crianças numa passarela, cheias de sonhos e desejos, buscando a aprovação a partir de um desfile, como se para amar um filho tivéssemos que admirá-los fisicamente”, escreveu Manuela d`Ávila no Twitter.

Em declarações à agência Lusa, o advogado inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil Luciano Santoro lamentou que a ordem se tenha associado a um evento em que as “crianças são tratadas como objetos”.

“Não há como deixar de se indignar com o evento `Adoção na Passarela`. Por mais nobre que fosse a intenção, é lamentável que crianças sejam vistas como objeto. A lei da adoção brasileira busca pais para uma criança e não o contrário. Lamentável saber que OAB-MT e o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Mato Grosso tenham promovido esse evento”, declarou o advogado, que é doutor em direito penal e professor universitário.

“A criança jamais pode ser vista ou tratada como um objeto, como se a cor dos olhos, da pele ou do cabelo definissem a escolha dos pretendentes à adoção. Para estimular a adoção de crianças com idade superior a 4 anos é importante fomentar o debate na sociedade, encerrando o preconceito histórico com a adoção tardia. Que essa ação ao menos sirva de lição à sociedade brasileira”, concluiu.

A presidente da CIJ, Tatiane de Barros Ramalho, uma das organizadoras do desfile, afirmou, dias antes do evento, que a intenção era proporcionar “um dia diferenciado” aquelas crianças.

“Trata-se de uma noite para os pretendentes a adotar poderem conhecer as crianças e os adolescentes. A população em geral poderá ter mais informações sobre adoção e os menores em si terão um dia diferenciado, em que irão se produzir, fazer o cabelo, maquilhagem e usar roupa para o desfile”, declarou Tatiane Ramalho, citada na página da internet da OAB-MT.

O desfile realizado na terça-feira foi já a segunda edição do evento “Adoção na Passarela”.

- Publicidade -
- Publicidade -

Nigéria: Produtores de dendém elogiam Buhari por capacitar os pequenos agricultores

A Associação de Produtores de óleo de palma da Nigéria (OPGAN) elogiou o Presidente Muhammadu Buhari e o Banco Central da Nigéria (CBN) por...
- Publicidade -

Angola: Onde estão os sindicatos no novo conselho de João Lourenço?

Convidado a integrar o novo Conselho Económico e Social de João Lourenço, o economista Carlos Rosado de Carvalho diz-se "surpreendido" com o número de...

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Notícias relacionadas

Nigéria: Produtores de dendém elogiam Buhari por capacitar os pequenos agricultores

A Associação de Produtores de óleo de palma da Nigéria (OPGAN) elogiou o Presidente Muhammadu Buhari e o Banco Central da Nigéria (CBN) por...

Angola: Onde estão os sindicatos no novo conselho de João Lourenço?

Convidado a integrar o novo Conselho Económico e Social de João Lourenço, o economista Carlos Rosado de Carvalho diz-se "surpreendido" com o número de...

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Cardeal italiano demitido de Vaticano por suspeitas de desvio de fundos

O italiano Angelo Becciu, tido a data como um dos cardeais mais influentes do Vaticno, foi obrigado a renunciar ao seu cargo, devido à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.