Radio Calema
InicioMundoMédio OrienteBombardeios em reduto jihadista na Síria matam 23 civis

Bombardeios em reduto jihadista na Síria matam 23 civis

AFP

Pelo menos 23 civis morreram nesta quarta-feira (22) em ataques aéreos do regime de Bashar Al Assad contra o último reduto jihadista na Síria, na região noroeste do país, onde os combates já fizeram mais de 87 mortos em 24 horas.

A província de Idleb e partes das províncias vizinhas de Hama, Aleppo e Latakia, controladas por jihadistas do Hayat Tahrir Al Sham (HTS, ex-braço da Al-Qaeda), são palcos desde o final de abril de combates entre os extremistas e forças pró-regime, apoiadas pela Rússia.

Desde terça-feira à noite, os combates fizeram 87 mortos, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Destes, 51 eram soldados do regime e 36 jihadistas.

Além disso, 23 civis morreram em ataques realizados durante a noite, incluindo 12 em um mercado na cidade de Maaret Al Numan.

O ataque teve como alvo um mercado da região e foi conduzido pelo regime de Damasco, de acordo com a ONG.

Segundo testemunhas, a zona estava cheia de gente, uma vez que muitos moradores estavam no mercado para o fim do jejum do Ramadão.

Um correspondente da AFP viu na manhã desta quarta-feira as vitrines das lojas danificadas e casas destruídas na área atacada.

“Muitas lojas foram destruídas e o chão estava cheio de pedaços de corpos e de cadáveres”, declarou à AFP Khaled Ahmad, proprietário de uma loja.

“Os habitantes ainda têm medo”, acrescentou. Pelo menos 18 pessoas ficaram feridas, e “vários estão numa situação crítica”.

Os outros 11 civis morreram durante os bombardeios aéreos do regime em diversas zonas da área controlada pelos jihadistas. Cinco deles morreram durante um ataque contra a cidade de Saraqeb.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.