Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Ministério da Justiça expulsou 24 funcionários corruptos

Francisco Queiroz diz que prevenção dos actos de corrupção é extensiva aos fornecedores de bens (Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro)

Vinte e quatro funcionários do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos foram despedidos do sector no ano transacto por prática indecorosa, como infracções, suborno, falsificação de documentos, extorsão de valores e utilização de receitas da instituição para benefício próprio.

A informação, de acordo com o JA, consta do “Boletim do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos”, um novo meio de informação virtual, publicado na sexta-feira última,17.

O período refere que, no mesmo processo instruído pelo Gabinete de Inspecção do sector, foram ainda despromovidos das funções três funcionários, nove multados e 32 em censuras registadas.

Tal medida, de acordo com o documento, faz com que os demais funcionários tenham maior responsabilidade no exercício das suas actividades e que evitem propostas de utentes para resolução de certos casos.

“E isso é patente na redução do percentual dos processos em relação ao ano de 2017, que foram superiores, na ordem dos 17 por cento”, lê-se no boletim.

O boletim informa que o maior número de processos disciplinares foi instruído em Luanda, seguindo-se as províncias de Benguela, Cuando Cubango, Cabinda, Huambo, Cunene e Bengo.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »