Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Ford vai cortar 7.000 empregos a nível mundial

(ALY SONG)

O corte, que será feito até final de Agosto, é a consequência do declínio das vendas de alguns modelos da marca norte-americana.
O grupo automóvel Ford anunciou hoje a supressão até ao final de Agosto de 7.000 empregos a nível mundial, para conseguir economizar e adaptar-se ao declínio de vendas de alguns modelos, em particular nos Estados Unidos.

De acordo com a SIC Notícias, que cita a Lusa, o construtor automóvel norte-americano não divulgou pormenores sobre a eliminação de empregos, mas o total de 7.000 corresponde a 10% do total de trabalhadores.

Com este corte, a Ford “pretende alcançar poupanças anuais de cerca de 600 milhões de dólares” (537 milhões de euros), indicou uma porta-voz, citada pela AFP.

Os postos de trabalho a eliminar envolvem saídas voluntárias e despedimentos, adiantou.

Cerca de 800 empregos serão cortados nos Estados Unidos, Canadá e México, 500 dos quais já esta semana, precisou a porta-voz.

Este número acresce ao de 1.500 empregados que deixaram o grupo nos últimos meses na região, mas através de saídas voluntárias.

As medidas para economizar também vão afectar a China, a Europa e a América do Sul.

“Ainda não temos detalhes precisos para cada uma destas regiões porque a reestruturação está a ser feita, mas só termina no fim de Agosto”, acrescentou a mesma fonte.

“Compreendemos que este é um momento difícil para as nossas equipas, mas as medidas são necessárias para pôr a Ford no caminho do sucesso e preparar a empresa para o futuro”, acrescentou.

As medidas de austeridade fazem parte de um vasto plano de reestruturação anunciado no outono pelo presidente executivo, Jim Hackett, para economizar 11 mil milhões de dólares e fazer da Ford um grupo mais “ágil” com procedimentos de tomada de posição mais rápidos.

A Ford quer adaptar-se à transformação que está a ser feita no sector automóvel, sobretudo com o desenvolvimento de viaturas autónomas e a uma aceleração para os veículos eléctricos, o que exige uma modernização das fábricas existentes.

Nesta perspectiva, a Ford está a reorganizar as suas actividades na Europa, ponderando uma possível redução na produção de modelos populares como o Fiesta, o Focus e o Mondeo.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »