Portal de Angola
Informação ao minuto

Casos de tuberculose aumentam na Ganda

DOENTES DE TUBERCULOSE (ARQUIVO) (FOTO: DOMINGOS NICOLAU)

Cento e 47 casos de tuberculose que resultaram em quatro mortos foram registados nos últimos cinco meses, no município da Ganda, província de Benguela, mais 27 em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o supervisor do dispensário anti-tuberculose e lepra local, Paulino Gil, que falava à Angop, em relação a igual período do ano passado, registou-se a mesma cifra de óbitos (quatro), cuja doença, apesar de estar sob controlo, tende a aumentar.

Paulino Gil disse que, dos 147 pacientes registados, destacam-se ainda 76 curados, seis que abandonaram o tratamento e três que se encontram em estado grave e foram transferidos para o hospital da Missão Católica do Tchambungo, no município do Cubal.

O supervisor sustentou ainda que a tuberculose tem sido também associada ao VIH- Sida e que nesse período foram diagnosticados três pacientes positivos com essa pandemia e cinco com lepra.

Referiu, no entanto, que a falta de uma área específica para internamento de doentes com tuberculose faz com que todos os casos que surjam na Ganda, em fase avançada, sejam encaminhados de imediato para o hospital missionário do Tchambungo.

O responsável deu a conhecer que, actualmente, o tratamento da tuberculose efectua-se de forma ambulatória, existindo perspectivas de alargar uma área no centro médico da policlínica da sede municipal, para servir de centro de diagnóstico desta doença.

Paulino Gil admitiu existir ainda algumas insuficiências na prestação de serviços especializados, sobretudo para diagnóstico dos doentes com tuberculose, dai que os mesmos têm de recorrer a uma clínica privada (sede municipal) e a um centro anti-tuberculose da Igreja Evangélica, localizado na comuna da Ebanga.

Segundo o supervisor, o aumento de casos de tuberculose tem como causas as péssimas condições económicas em que as famílias vivem, uso excessivo de bebidas alcoólicas, cuja incidência recai para indivíduos da faixa etária entre 14 e os 35 anos de idade, com maior incidência para povoação da Chikuma (Babaera).

Garantiu existir no centro médico da Ganda fármacos suficientes para a cobertura do tratamento dos pacientes com tuberculose e lepra, assim como em 25 depósitos de medicamentos espalhados por diversas povoações, para se aproximar o tratamento aos doentes.

O especialista em saúde pública apontou como sinais da tuberculose, o emagrecimento, febres contínuas as tardes, tosse convulsa produtiva, falta de apetite, entre outros, apelando aos cuidados higiénico, boa alimentação, repouso absoluto e outros que devem ser observados para um estilo de vida saudável.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »