Portal de Angola
Informação ao minuto

Malawi: Presidente faz apelo em busca da reeleição

Peter Mutharika, Presidente do Malawi (DR)

Em último ato de campanha, o Presidente do Malawi, Peter Mutharika, disse que país chegará “ao nível de Singapura e Malásia” e prometeu desenvolver o país “de forma jamais vista” se vencer as eleições de 21 de maio.

Segundo informa a DW África, no seu último dia de campanha antes das eleições gerais marcadas para 21 de maio, o Presidente do Malawi, Peter Mutharika, afirmou este sábado (18.05) na capital Blantyre que colocou o Malawi “no caminho do progresso” e que a oposição não tem razões para criticá-lo.

“Minhas prioridades para este país são o desenvolvimento e a construção. Se me derem uma chance por mais cinco anos, vou desenvolver este país de forma jamais vista”, disse o Presidente a centenas de apoiantes durante o seu apelo final de campanha. O Presidente garantiu que o Malawi irá chegar “ao nível de Singapura e Malásia”.

Mutharika, que disse estar a receber apenas 40% de seu salário para ajudar a economia, prometeu construir mais escolas e fábricas no Malawi – um país amplamente agrícola e um dos mais pobres do mundo. “Continuaremos a construir a economia para erradicar a pobreza”, afirmou.

Oposição

Os principais rivais de Mutharika e do Partido Democrático Progressista (DPP), no poder, são o líder da oposição Lázaro Chakwera, do Partido do Congresso do Malawi (MCP), e Saulos Chilima, do novo Movimento de Transformação Unida (UTM).

“Nossa mensagem foi tão bem recebida, é electrizante em todos os lugares”, disse Chakwera em seu último ato de campanha. “Podemos unir este país que ficou paralisado e todos podemos prosperar juntos, mas precisamos acabar com a corrupção e devemos seguir o estado de direito”, acrescentou.

Chakwera fez uma aliança com a ex-presidente Joyce Banda, que fugiu do país por quatro anos depois de perder as eleições de 2014, em meio a alegações de corrupção que nunca se confirmaram.

O candidato da oposição Saulos Chilima já foi vice-Presidente de Mutharika. Apesar de ter deixado o partido no poder para estabelecer o UTM no ano passado, sua candidatura ainda não é bem vista.

O partido tem como alvo o massivo voto dos jovens. Chilima, de 46 anos, disse em seu comício final: “A maior parte da nossa economia está nas mãos de poucos. Foi isso que levou ao nascimento da UTM”.

As campanhas terminaram este sábado antes da votação de terça-feira, que vai eleger o novo Presidente, o Parlamento e representantes locais. Sob o sistema “o vencedor leva tudo” do Malawi, Mutharika venceu na eleição de 2014 com apenas 36% dos votos. O vencedor deste ano pode garantir a Presidência com menos ainda.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »