Radio Calema
InicioDestaquesArábia Saudita: não queremos guerra com Irão, mas estamos prontos

Arábia Saudita: não queremos guerra com Irão, mas estamos prontos

Esta semana, o rei saudita convocou reunião extraordinária da cúpula da Liga Árabe na cidade de Meca, em 30 de maio, após um ataque às instalações petrolíferas do país e sabotagem contra navios petroleiros na costa dos Emirados Árabes Unidos, informou a imprensa saudita neste sábado, citando uma fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

De acordo com a Sputnik, o Ministério das Relações Exteriores da Arábia Saudita fez um anúncio, em meio às recentes tensões com o Irão, que não deseja uma guerra na região, mas que o país está pronto para responder com “força total e determinação”.

“A Arábia Saudita não quer uma guerra na região, não a procura e fará tudo o que estiver ao seu alcance para impedir uma guerra. Ao mesmo tempo, confirma que, se o outro lado escolher a guerra, o reino responderá com força total e determinação e defenderá a si e aos seus interesses”, escreveu o chanceler saudita, Al Jubeir, em seu Twitter.

As tensões na região aumentaram durante esta semana. Em 12 de maio, dois petroleiros da Arábia Saudita e dois outros navios foram alvo de um misterioso ataque na zona económica exclusiva dos Emirados Árabes Unidos. Mesmo que ninguém tenha reivindicado a responsabilidade pelo incidente, os Estados Unidos sugeriram que o Irão, que entrou em uma nova fase de tensão com Washington, poderia estar por trás dos ataques.

Na terça-feira, os rebeldes houthis do Iêmen realizaram ataques com drones contra as instalações petrolíferas sauditas, provocando incêndios e pequenos danos. Riad prometeu retaliar os ataques dos houthis, que acusa serem apoiados pelo Irão. Teerão, no entanto, negou qualquer papel no conflito do Iêmen.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.