Portal de Angola
Informação ao minuto

Filme em português em competição em Cannes

Cena de "Bacurau", com Sónia Braga no elenco. (Victor Jucá)

RFI | Miguel Martins

“Bacurau” é a única longa metragem em português em competição no Festival de cinema de Cannes. Os brasileiros Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles realizam um filme sobre uma comunidade aldeã que vai resistir aos ataques que a visam aniquilar e riscar do mapa.

A estrela Sónia Braga, celebrizada nomeadamente em 1975 através da telenovela “Gabriela”, volta ao grande ecrã num filme de Kleber Mendonça Filho.

Este mito da cultura brasileira que em 2016 fora a protagonista do filme “Aquarius” encarna o papel de médica anciã da comunidade rural de Bacurau.

O candidato à sua reeleição para a área não olha a meios para por cobro à hostilidade da população e procura riscar a aldeia do mapa.

E isto com recurso a milícias estrangeiras fortemente armadas num filme particularmente pontuado pela violência.

“Bacurau” disputa a Palma de Ouro da edição 2019 deste Festival de cinema de Cannes onde é o único filme lusófono e latino-americano em competição na selecção oficial, conjutamente com outras 20 películas.

De lembrar que o certame deste ano fica marcado por pela primeira vez um presidente do júri ser latino-americano, o mexicano Alejando González Iñárritu.

Kleber Mendonça Filho admitiu em entrevista a Silvano Mendes “não concordar com nada” com o actual do chefe de Estado, Jair Bolsonaro, enquanto Juliano Dornelles se demonstrava esperançado em que os brasileiros resistam às reformas do sector, tidas como hostis à cultura.

Um “monumento na história do cinema brasileiro”, eis como Mendonça Filho se refere a Sónia Braga que volta, assim, aos ecrãs de Cannes, após se ter radicado essencialmente nos Estados Unidos.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »