Portal de Angola
Informação ao minuto

União Europeia pede contenção aos EUA no conflito com o Irão

A União Europeia (UE) deixou claro, mais uma vez, que é sua intenção manter o acordo nuclear, que os Estados Unidos abandonaram o ano passado (DR)

O acordo nuclear com o Irão voltou ao debate em Bruxelas. E valeu uma visita surpresa do secretário de Estado norte-americano à capital belga, numa altura em que se intensifica a tensão entre Teerão e Washington.

A União Europeia (UE), sustenta a DW África, deixou claro, mais uma vez, que é sua intenção manter o acordo nuclear, que os Estados Unidos abandonaram o ano passado. Após a reunião desta segunda-feira (13.05), em Bruxelas, que juntou o secretário de Estado norte-americano e os chefes da diplomacia europeia, Heiko Maas, ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, voltou a reforçar a posição do bloco europeu.

“Na Europa, consideramos que este acordo é necessário para a nossa segurança, ninguém quer ver o Irão com armas nucleares. É esse o objectivo deste acordo e que foi alcançado até agora”, disse o chefe da diplomacia alemã.

O ministro Heiko Maas frisou ainda que, tal como os Estados Unidos, a Europa tem uma visão crítica em relação ao Irão, nomeadamente, na questão da Síria. No entanto, entende o bloco, o acordo com Teerão continua a ser “um pilar central para a segurança” na região.

Também Federica Mogherini, alta representante da União Europeia para a Política Externa, pediu contenção. “Mike Pompeo ouviu uma mensagem clara, não só de mim, mas dos outros ministros de países da União Europeia: estamos a viver um momento crucial e delicado, no qual a atitude mais responsável é, e deve ser, a máxima contenção, para evitar qualquer escalada militar.”

Frustrado com a posição da UE face à pressão dos Estados Unidos para se cortarem relações comerciais com o país, o Irão anunciou, Na semana passada, que irá abandonar parcialmente o acordo nuclear de 2015, deixando de cumprir algumas medidas previstas. Em resposta, o Presidente Donald Trump reforçou a presença militar norte-americana no Golfo Pérsico.

Aviso de Donald Trump

Entretanto, a Arábia Saudita – aliada dos Estados Unidos – confirmou a ocorrência, no domingo (13.05), de atos de sabotagem a quatro navios comerciais ao largo dos Emirados Árabes Unidos. Acções que prometem intensificar o já delicado conflito na região.

Uma fonte norte-americana já fez saber que a avaliação inicial aos ataques aos navios sugere o envolvimento de Teerão, a quem o Presidente norte-americano Donald Trump deixou um aviso: “Vamos ver o que acontece. Se o Irão fizer alguma coisa, será um erro muito grave. Vão acabar por sofrer muito. ”

O Irão já ameaçou várias vezes fechar o estreito de Ormuz, crucial para a navegação mundial e para o abastecimento petrolífero, em caso de confronto militar com os Estados Unidos.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »