Portal de Angola
Informação ao minuto

Venda de elefantes à China e Dubai rende 2,4 milhões de euros ao Zimbabué

(DR)

Observador|Lusa

O Zimbabué recebeu 2,4 milhões de euros com a venda, entre 2012 e janeiro de 2018, de 93 elefantes para a China e quatro para o Dubai, anunciou esta segunda-feira o Ministério do Turismo e Meio Ambiente do país africano.

“Os elefantes foram levados de avião para parques na China e no Dubai. Não houve mortes de elefantes em trânsito”, disse Priscah Mupfumira, ministra do Turismo e Ambiente. Priscah Mupfumira explicou que o preço dos elefantes variou entre 13.500 e 41.500 dólares cada, em declarações publicadas pelo jornal estatal Chronicle.

O dinheiro recebido foi destinado para atividades de conservação destes animais, incluindo apoio às operações contra a caça furtiva e unidades de investigação a cargo da Autoridade de Parques e Vida Selvagem do Zimbábue.

Tal como o seu vizinho Botsuana, o Zimbabué também é um forte defensor da legalização do comércio de marfim de elefante africano, proibido desde 1990 no âmbito da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens (CITES).

“O Zimbabué pode manter 55.000 elefantes, mas agora temos 85.000. Não podemos reduzir [o número] devido às restrições da CITES”, argumentou Mupfumira, acrescentando que o seu Governo tem marfim no valor de 300 milhões de dólares (cerca de 266 milhões de euros) que não pode vender.

Este país tem a maior concentração de elefantes no mundo depois de Botsuana, que tem mais de 135.000 exemplares.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »