Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Baixo caudal provoca restrições de energia na Huíla

HUÍLA: CENTRAL TÉRMICA DA ARIMBA, NO LUBANGO (FOTO: ANGOP)

As restrições de energia eléctrica aos municípios do Lubango, Humpata e Chibia, na província da Huíla, agravaram-se devido ao baixo caudal na albufeira da barragem da Matala, associada às dificuldades de obtenção de gasóleo, informou hoje o director regional da Rede Nacional de Transporte de Electricidade (RNT), Júlio Job.

Em declarações à Angop, o responsável disse que enquanto a falta combustível, que dura mais de 15 dias, prevalecer, a alternativa à Barragem da Matala, que são as centrais térmicas, não conseguirão responder à demanda.

A fonte disse que a esta altura estão a fornecer à cidade do Lubango, energia eléctrica na ordem dos 30%, correspondendo a 18.6 megawatts, mas o normal seriam de mais 50 megawatts.

A restrições, no período diurno, estão na ordem dos 70 por cento, no período noturno, aumentam o fornecimento na ordem dos 80%.

A barragem hidro-eléctrica da Matala é sustentada pelo rio Cunene e está a funcionar apenas com uma das duas máquinas do sistema devido à baixa pressão que é exercida pelo caudal. A solução, por um lado, passa pelo fornecimento regular de combustível às centrais de transformação de energia, no Lubango e no Namibe, por não receberem energia do Namibe devido à situação conjuntural.

Deu a conhecer que, tão logo melhore o fornecimento de combustível, as restrições reduzirão mais ainda, mas enquanto durar esse período vão trabalhar apenas com as cargas essenciais, isto é, com unidades hospitalares, Banco Nacional, governo provincial, centros emissores, entre outros, que não podem ficar privados de energia eléctrica.

As restrições de energia eléctrica à província da Huíla começaram nos finais de Abril, do ano em curso, com um fornecimento de seis a 12 horas de indisponibilidade, cumprindo um plano de limitações por bairro, o que está a causar prejuízos aos agentes económicos e pessoas singulares.

A barragem da Matala, situada no município com o mesmo nome, a 180 quilómetros a leste do Lubango, existe desde 21 de Outubro de 1959.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »