- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade Polícia leva a tribunal 10 trabalhadores do CFL por "sabotagem"

Polícia leva a tribunal 10 trabalhadores do CFL por “sabotagem”

Dez trabalhadores do Caminho-de-Ferro de Luanda (CFL) serão presentes na terça-feira, 14, ao Tribunal de Luanda, depois de terem sido detidos pela polícia nesta segunda-feira, alegadamente por “actos de sabotagem” ao tentarem impedir a circulação de comboios.

O sindicato denuncia a acção da polícia e diz estar disponível para negociar apenas com o Governo, por não confiar na empresa.

Os confrontos aconteceram quando os trabalhadores encontraram o espaço da empresa vedado pela polícia, e ao se dirigirem para a passagem de nível “no Cazenga, onde foram detidos pela polícia”, revelou à VOA Silas José, secretário-geral da comissão sindical.

“Houve terror, situações muito difíceis”, acrescentou Silas, dizendo que serão presentes ao tribunal amanhã.

Entre os detidos, há três membros do sindicato e 12 trabalhadores foram feridos.

Em greve desde 18 de Abril, os trabalhadores exigem um aumento salarial de cerca de 80 por cento além de mais 18 reivindicações.

Na sexta-feira, 10, a empresa anunciou a retomada para hoje dos serviços mínimos, tendo a polícia, segundo o sindicato, tentado levar os empregados a voltarem ao trabalho.

O braço de ferro continua e o sindicato, segundo o secretário-geral, não quer falar com a empresa “por falta de confiança depois de nos levado ao tribunal”.

“Não dá garantias de seriedade, de responsabilidade, de coerência, nós queremos negociar com o ministro dos Transportes”, asseguro Silvas José.

Em nota, a Delegação de Luanda do Ministério do Interior disse ter tomado conhecimento da ocupação das instalações das oficinas do Caminho de Ferro de Luanda (CFL), da inviabilização da execução dos serviços mínimos, de alguns actos de sabotagem ao longo da linha férrea de Luanda e do impedimento da marcha do comboio na zona do túnel do Cazenga”.

Ainda de acordo com o Ministério, os grevistas deitaram-se na linha férrea, o que obrigou a rápida intervenção policial, “com o intuito de repor a ordem e tranquilidade públicas”.

- Publicidade -
- Publicidade -

[Análise] Como estão os líderes empresariais africanos a lidar com a crise do coronavírus?

Pessimismo no futuro imediato, mas confiança no futuro do continente a longo prazo: esta é a conclusão da segunda edição do barómetro sobre o...
- Publicidade -

China garante que OMS deu aval ao uso de vacinas que ainda estão em estudo

As autoridades chinesas dizem que a Organização Mundial da Saúde deu apoio e aceitou a administração de vacinas experimentais que estão a ser desenvolvidas...

Covid-19: Grupo de 34 reclusos infetados foge de prisão no Brasil

Um grupo de 34 presos, infetados com covid-19, fugiu esta terça-feira através de um túnel de uma prisão no Brasil, com graves problemas de...

Zimbabwe aceita devolver terras a fazendeiros brancos

O Governo zimbabweano está a elaborar um plano para possibilitar a devolução, a milhares de fazendeiros brancos, das terras que lhes foram violentamente retiradas...

Notícias relacionadas

[Análise] Como estão os líderes empresariais africanos a lidar com a crise do coronavírus?

Pessimismo no futuro imediato, mas confiança no futuro do continente a longo prazo: esta é a conclusão da segunda edição do barómetro sobre o...

China garante que OMS deu aval ao uso de vacinas que ainda estão em estudo

As autoridades chinesas dizem que a Organização Mundial da Saúde deu apoio e aceitou a administração de vacinas experimentais que estão a ser desenvolvidas...

Covid-19: Grupo de 34 reclusos infetados foge de prisão no Brasil

Um grupo de 34 presos, infetados com covid-19, fugiu esta terça-feira através de um túnel de uma prisão no Brasil, com graves problemas de...

Zimbabwe aceita devolver terras a fazendeiros brancos

O Governo zimbabweano está a elaborar um plano para possibilitar a devolução, a milhares de fazendeiros brancos, das terras que lhes foram violentamente retiradas...

Inacom e parceiros criam plataforma de diálogo

O Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), as operadoras e as associações dos consumidores, decidiram, a partir desta quinta-feira, em Luanda, a criação de uma...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.