- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Portugal Jerónimo critica Governo por "chantagem" com professores e "mãos rotas" com banca

Jerónimo critica Governo por “chantagem” com professores e “mãos rotas” com banca

TVI24 | Lusa

Secretário-geral comunista acusou o PS de escolher estar “ao lado dos banqueiros, ao lado da banca”, mas “contra os trabalhadores e, neste caso concreto, contra os professores”

“O secretário-geral do PCP criticou esta terça-feira o Governo pela “operação de chantagem” acerca da recuperação integral do tempo de serviço dos professores e por ter “mãos rotas” para com a banca, sem “preocupação” com “o défice”.

Assistimos, nestes últimos dias, no quadro da operação de chantagem” do executivo socialista, “com a sua ameaça de demissão à volta da questão da aplicação do tempo de serviço dos trabalhadores da administração pública, a falar ao país nos avanços como sendo conquistas só do Governo do PS”, disse o líder do PCP, Jerónimo de Sousa, em Vendas Novas (Évora).

Num jantar da CDU, após uma passagem por vários concelhos do distrito de Évora, o secretário-geral comunista afirmou que o PS recorreu ao argumento do “espantalho do regresso aos tempos da ‘troika’” e de que essas medidas positivas “estariam a ser postas em causa com a proposta” para devolver o “tempo de serviço dos professores e de outros profissionais dos corpos especiais do Estado”.

“Primeiro, não vale a pena o PS ‘enfeitar-se’ com as medidas positivas que foram alcançadas nesta nova fase política nacional. Muito do que se avançou começou por ter a oposição ou a resistência do PS. São conquistas sim, mas que o PS e o seu Governo, em muitos casos, recusavam”, argumentou Jerónimo de Sousa.

O líder do PCP referiu-se também ao primeiro-ministro, António Costa, que, na segunda-feira, “explicava que estas medidas de reposição de direitos aos professores não eram sustentáveis para a economia” e “em relação à redução do défice”.

“E, por azar do PS, há bocado, ali no Centro de Trabalho do PCP, vendo um telejornal, o que é que dizia Bruxelas? Não se consegue reduzir o défice, como vocês dizem, porque deram muito dinheiro ao Novo Banco”, contrapôs.

Jerónimo referia-se às previsões da primavera da Comissão Europeia, divulgadas hoje, em que se estima que o défice público de Portugal registe em 2019 uma ligeira diminuição face ao valor observado em 2018 (0,5%), enquanto o saldo sem medidas extraordinárias deve permanecer inalterado num excedente de 0,2% do PIB.

Entre as medidas extraordinárias com impacto no saldo, Bruxelas aponta a nova injecção de capital no Novo Banco ao abrigo do Mecanismo de Capital Contingente, que terá um impacto de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB).

Segundo o líder do PCP, “não houve preocupação nenhuma” do Governo “em ver a sustentabilidade da economia” e “as consequências para o défice” nesta questão do Novo Banco: “Não senhora, logo ali a jeito, ‘mãos rotas’, milhões e milhões de euros para a banca, para os banqueiros que andaram a fazer os desmandes durante estes anos todos”.

O PS, acusou Jerónimo de Sousa, “fez uma opção”, ou seja, a de estar “ao lado dos banqueiros, ao lado da banca”, mas “contra os trabalhadores e, neste caso concreto, contra os professores”.

Incentivando os militantes e simpatizantes do partido para as batalhas eleitorais deste ano, a começar pelas europeias do próximo dia 26, em que é preciso “ter mais votos e eleger mais deputados”, Jerónimo sustentou que “hoje compreende-se melhor que é o calculismo eleitoral e a fixação na maioria absoluta que levam o Governo PS a ameaçar demitir-se”.

“Se a actual correlação de forças se alterar a favor do PS alguém pensa que vai ficar tudo como antes? Ninguém pense que tudo ficará igual se o PS ficar com as ‘mãos livres’ ou com aquilo que ‘tem na cabeça’, que é conseguir uma maioria absoluta”, avisou.

- Publicidade -
- Publicidade -

Portugal, país euroafricano

Portugal é há muito um país euroafricano não assumido. Vozes como a da historiadora e professora Isabel de Castro Henriques, que estudam as marcas...
- Publicidade -

Reflexões sobre o calendário escolar

Após a realização do diagnóstico sobre o rendimento do Subsistema do Ensino de Base, em 1986, os primeiros sinais de mudança de uma economia...

De números desconhecidos: Burlas por telefone na calada da noite

Edson Cadete disse que alguns amigos aconselharam-no a retomar as chamadas e outros o desencorajaram a fazê-lo. Nós últimos dias cresce o número de pessoas...

Zangam-se as Comadres, Descobrem-se as Verdades!

Empresários nacionais em 2012, segundo o Confidence News, já o denunciavam como sendo, o “homem do Presidente”. Edeltrudes Costa de seu nome, foi vice...

Notícias relacionadas

Portugal, país euroafricano

Portugal é há muito um país euroafricano não assumido. Vozes como a da historiadora e professora Isabel de Castro Henriques, que estudam as marcas...

Reflexões sobre o calendário escolar

Após a realização do diagnóstico sobre o rendimento do Subsistema do Ensino de Base, em 1986, os primeiros sinais de mudança de uma economia...

De números desconhecidos: Burlas por telefone na calada da noite

Edson Cadete disse que alguns amigos aconselharam-no a retomar as chamadas e outros o desencorajaram a fazê-lo. Nós últimos dias cresce o número de pessoas...

Zangam-se as Comadres, Descobrem-se as Verdades!

Empresários nacionais em 2012, segundo o Confidence News, já o denunciavam como sendo, o “homem do Presidente”. Edeltrudes Costa de seu nome, foi vice...

FinCEN Files. Como os grandes bancos facilitaram milhares de milhões de dólares em transferências para criminosos

Mais de dois mil relatórios bancários confidenciais obtidos pelo BuzzFeed News e partilhados com o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), do qual...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.