- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Regiões Benguela aguarda pelas "soluções" do Governo à crise de combustível

Benguela aguarda pelas “soluções” do Governo à crise de combustível

VOA | João Marcos

O Governo angolano disse ter tomado medidas para colocar um fim à crise de combustíveis que o país enfrenta desde há semanas.

O anúncio foi feito nesta terça-feira, 7, pela Casa Civil, depois de um encontro entre João Lourenço e responsáveis dos sectores do petróleo e das finanças.

Em Benguela, o director da Empresa de Produção de Electricidade, Pedro Barros, lembra que o mercado angolano não tem alternativas.

“Só ela (Sonangol) é que nos pode fornecer, temos um contrato. O problema de falta de dinheiro não se coloca, não temos, até porque os pagamentos são feitos pelo Governo central”, avança Barros.

Analistas angolanos questionam os argumentos da Sonangol, principalmente pelo encaixe de dois mil milhões, 827 milhões e 159 mil e 281 dólares americanos, no primeiro trimestre deste ano, com a venda do petróleo.

Os problemas de energia dão lugar a cortes no fornecimento de água potável às principais cidades, revela o presidente do Conselho de Administração da Empresa de Águas e Saneamento de Benguela, Jaime Alberto.

“Desde o dia 21 que não temos a fonte alternativa, por isso temos apenas a energia da ENDE, daí as interrupções em Benguela e na Baía Farta. São os transtornos por causada avaria no transformador”, refere aquele administrador.

Os combustíveis, no centro de toda a polémica, paralisaram a camionagem, com prejuízos para várias províncias, tal como adverte o presidente da Associação dos Industriais de Camionagem, Nelo Moreira.

“Ficar quatro ou cinco dias na fila… a camionagem está praticamente quase toda parada. A material que devia estar em Luanda, vindo do Sul de Angola, assim como carros que deveriam ir ao Lubango, muitos com alimentos perecíveis”, detalha Moreira.

Apesar do anúncio da Casa Civil de que foram “tomadas medidas e mobilizados todos os recursos necessários para a completa estabilização do mercado de abastecimento dos combustíveis nos próximos dias”, os condutores aguardam agora pela implementação das decisões e o fim da crise.

- Publicidade -
- Publicidade -

Angola: Onde estão os sindicatos no novo conselho de João Lourenço?

Convidado a integrar o novo Conselho Económico e Social de João Lourenço, o economista Carlos Rosado de Carvalho diz-se "surpreendido" com o número de...
- Publicidade -

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Cardeal italiano demitido de Vaticano por suspeitas de desvio de fundos

O italiano Angelo Becciu, tido a data como um dos cardeais mais influentes do Vaticno, foi obrigado a renunciar ao seu cargo, devido à...

Notícias relacionadas

Angola: Onde estão os sindicatos no novo conselho de João Lourenço?

Convidado a integrar o novo Conselho Económico e Social de João Lourenço, o economista Carlos Rosado de Carvalho diz-se "surpreendido" com o número de...

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Cardeal italiano demitido de Vaticano por suspeitas de desvio de fundos

O italiano Angelo Becciu, tido a data como um dos cardeais mais influentes do Vaticno, foi obrigado a renunciar ao seu cargo, devido à...

Mali: Presidente e vice-presidente de transição já tomaram posse

Esta sexta-feira, no Mali, vão tomar posse o novo presidente de transição, o general na reserva Bah N’Daw, e o novo-vice-presidente, o coronel Assimi...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.