Portal de Angola
Informação ao minuto

OMS alerta para o aumento de casos de sarampo no mundo

Imagem de arquivo (DR)

Portal de Angola| Osvaldo de Nascimento

A crise de sarampo a nível mundial é um sinal de alarme urgente para a necessidade de os países garantirem que todas as crianças, independentemente de onde vierem, tenham acesso a vacinas que salvam vidas. Os países de África enfrentam, também, o ressurgimento do sarampo, com surtos reportados em, pelo menos, 9 países (Chade, Camarões, RD Congo, Libéria, Guiné, Madagáscar, Mali, Nigéria e Uganda) durante os últimos 12 meses, lê-se numa nota enviada pela OMS ao Portal de Angola.

Em particular, Madagáscar sofreu um grande surto de sarampo que resultou em mais de 122.000 casos, entre Outubro de 2018 e Abril de 2019, acrescenta a nota.

Doença altamente contagiosa que corresponde, em África, a 13% dos óbitos prevenidos por vacinação em crianças menores de 5 anos, o sarampo infecta nove de cada dez pessoas não vacinadas. Até 2017, apenas 16 países de África tinham alcançado mais de 90% de cobertura da vacinação da primeira dose da vacina contra o sarampo (MCV1), segundo as estimativas de cobertura da OMS-UNICEF. Desde 2016 que a cobertura da MCV1 estagnou entre 70 – 73%, a nível da região.

No lançamento da nona Semana de Vacinação em África, que se realizou ontem, em São Tomé e Príncipe, os parceiros de vacinação destacaram a importância de os países permanecerem vigilantes na luta contra as doenças prevenidas por vacinação.

O tema da Semana de Vacinação em África deste ano, “Todos Protegidos: As Vacinas Funcionam!”, destaca o poder das vacinas de salvar vidas e manter todos saudáveis, desde lactectentes a idosos. A Semana de Vacinação em África, a decorrer de 22 a 28 de Abril, celebra, também, os heróis da vacinação que ajudam a expandir a cobertura dos serviços de vacinação por todas as regiões de África, desde pais e líderes comunitários a profissionais de saúde e inovadores.

Segundo a Dra. Matshidiso Moeti, Directora Regional da Organização Mundial da Saúde para a África: “Devemos trabalhar em conjunto para melhorar a distribuição da vacinação, de modo que todas as crianças estejam protegidas de doenças preveníveis. Os recentes surtos da doença, a nível do continente, chamam a atenção para a urgência deste objectivo”. Realça ainda que: os “surtos de sarampo em Madagáscar e de ebola na República Democrática do Congo destacam a necessidade de maior investimento na vacinação como parte fundamental do fortalecimento dos sistemas de cuidados de saúde primários”.

As vacinas são uma das intervenções de saúde pública mais eficazes e económicas disponíveis. No entanto, uma em cada cinco crianças em África não tem acesso às vacinas necessárias e básicas que uma criança deve receber.

Mais de 30 milhões de crianças menores de 5 anos contraem, em África, doenças prevenidas por vacinação, anualmente. Destas, mais de meio milhão morrem, o que representa 56% dos óbitos relacionados com doenças prevenidas por vacinação, a nível mundial.

Em África, as doenças prevenidas por vacinação impõem, também, uma carga económica de 13 biliões de dólares por ano, um financiamento que poderia ser utilizado para promover a economia e impulsionar o desenvolvimento.

Em 2017, os chefes de Estado de África aprovaram a Declaração de Addis sobre Vacinação na Cimeira da União Africana e comprometeram-se em abranger todas as crianças com vacinas que salvam vidas. Embora a vontade política para a vacinação seja elevada a nível da região, a Semana de Vacinação em África de 2019 é um lembrete para os países renovarem o seu compromisso e redobrarem esforços para alcançar o acesso universal às vacinas.

No lançamento da Semana de Vacinação em África, os parceiros enfatizaram a necessidade de passar do compromisso à acção, através do aumento do investimento nacional na vacinação e da melhoria do acesso às vacinas nas zonas de difícil acesso.

A Semana de Vacinação em África é um período de galvanização para a região, em que milhões de pessoas têm acesso à vacinas e rasteios importantes. Também é um momento para convocar os defensores da vacinação a incentivar os governos a manterem a vacinação no topo das suas agendas nacionais e regionais.

Segundo Evaristo do Espírito Santo Carvalho, Presidente de São Tomé e Príncipe: “Todos têm um papel a desempenhar para garantir que as crianças e as comunidades tenham acesso aos serviços de vacinação que necessitam, desde políticos e defensores da comunidade a profissionais de saúde e pais. Espero que a Semana de Vacinação em África incentive cada um de nós a fazer a sua parte e que estes esforços colectivos impulsionem o progresso em toda a região”.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »