Portal de Angola
Informação ao minuto

TAAG volta a poder voar sem restrições nos céus da UE 12 anos depois

(DR)

A transportadora aérea angolana TAAG foi retirada da “lista negra” de aviação da União Europeia, podendo voltar a voar sem restrições no espaço aéreo europeu, o que já não sucedia desde 2007, anunciou ontem a Comissão Europeia. Ao actualizar a sua “lista negra” de companhias aéreas impedidas de sobrevoar território comunitário por motivos de segurança, a Comissão indica que “há notícias positivas para Angola, uma vez que a sua companhia nacional TAAG Angola Airlines, assim como a Heli Malongo, que operavam com restrições desde novembro de 2008, foram retiradas da lista”.

De acordo com OPAÍS, a decisão foi tomada com base na opinião unânime emitida pelos peritos de segurança dos Estados-membros que se reuniram entre 02 e 04 de Abril em sede do Comité de Segurança Aérea, presidido pela Comissão Europeia com o apoio da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA), precisa o executivo comunitário.

A TAAG foi incluída na “lista negra” da UE em Julho de 2007, tendo em finais de 2008 voltado a ser autorizada a voar para a Europa mas sob restrições operacionais, podendo apenas voar, numa primeira fase, para Portugal, e apenas com três aviões da sua frota “validados” por Bruxelas, tendo as restrições mudado ligeiramente ao longo das sucessivas actualizações da lista desde então.

Até à actualização, a TAAG continuava com restrições para parte da sua frota, só podendo voar no espaço aéreo europeu com os aparelhos Boeing B737-700, Boeing B777-200, e Boeing B777-300.

A lista de segurança aérea da UE, denominada “lista negra”, proíbe agora um total de 120 companhias aéreas de voarem para a União Europeia, sendo 114 transportadoras certificadas em 16 países devido à falta de fiscalização da segurança pelas autoridades nacionais da aviação, e as restantes seis devido a preocupações relativas às próprias companhias, entre as quais a venezuelana Avior Airlines.

Entre as companhias certificadas por 16 países permanecem as transportadoras angolanas com excepção da TAAG e Heli Malongo, bem como as de São Tomé e Príncipe, tendo hoje sido incluídas todas as companhias da Moldova com excepção de três (Air Moldova, Fly One e Aerotranscargo).

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »