Portal de Angola
Informação ao minuto

Réus do caso “Burla Tailandesa” conhecem hoje a sentença do julgamento

(DR)

Os dez réus do caso “Burla Tailandesa” conhecem a sentença do julgamento esta terça-feira (16), um ano e três meses após serem detidos sob a acusação de defraudar o Estado angolano em USD 50 mil milhões.

No processo 00/17, o Ministério Público (MP) também acusou os quatro angolanos, quatro tailandeses, um canadiano e um etíope de crimes de associação criminosa, falsificação de documentos, branqueamento de capitais e burla por defraudação.

Segundo a Angop, o julgamento que arrolou 38 testemunhas decorre na 3ª secção da Câmara Criminal do Tribunal Supremo.

O caso remonta de Novembro de 2017, quando o Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve um grupo de dez pessoas.

As investigações do SIC, no entanto, concluíram que não havia qualquer linha de crédito disponível desta empresa que viria a Angola a convite da ré angolana Celeste de Brito.

Terminadas as investigações no SIC, o Ministério Público os constituiu arguidos, acusando-os de crimes de associação criminosa, falsificação de documentos, branqueamento de capitais e burla por defraudação.

Entre os angolanos destaque recai para Norberto Garcia, ex-director da extinta UTIP, órgão de apoio técnico ao Presidente da República em matéria de investimento privado, o presidente do Conselho de Administração da cooperativa Jango Yetu, Arsénio Manuel, adstrita às Forças Armadas Angolana (FAA).

Os quatro tailandeses chegaram a Angola com o objectivo de criar uma sucursal da Centennial Energy Company, Limited, para, alegadamente, investir no país o valor de USD 50 mil milhões.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »