Portal de Angola
Informação ao minuto

Presidente do Conselho Nacional da Juventude de São Tomé e Príncipe faz balanço do primeiro ano de mandato

Calisto do Nascimento, pres. do CNJ STP participando do Fórum da Juventude do Conselho Econômico e Social da ONU (DR)

VOA

Foi no dia 5 de Março que Calisto do Nascimento, presidente do Conselho Nacional da Juventude de São Tomé e Príncipe, completou um ano à frente do CNJ. Esta semana ele concedeu uma entrevista à Voz da América para fazer um balanço do seu mandato de três anos, além de refletir sobre o significado de ter participado pela primeira vez do Fórum da Juventude do Conselho Económico e Social da ONU (ECOSOC), realizado esta semana na sede das Nações Unidas em Nova Iorque.

Nascimento avaliou o seu primeiro ano como muito positivo, principalmente porque o trabalho feito resultou no aumento da credibilidade da organização a nível nacional e internacional.

“Foi um ano de muitas realizações. Nós conseguimos nos posicionar de forma correta, acertada, e conseguimos desenvolver muitas actividades para além daquilo que é essencial divulgar para a juventude”.

“Conseguimos aumentar a credibilidade da organização a nível nacional e internacional”
No entanto, ele reconheceu as dificuldades que enfrentou no início do mandato, tais como a visão conturbada das pessoas com relação à organização, e o distúrbio e a confusão nas assembleias.

Entre as actividades que tiveram sucesso, o presidente do CNJ destacou o projecto de educação cívica financiado pelo PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Segundo Nascimento houve uma alta taxa de abstenção, sobretudo dos jovens, na eleição de Outubro em São Tomé e Príncipe. Com o apoio das Nações Unidas, ele e a sua equipa percorreram o país de norte a sul, incluindo a região autónoma do Príncipe. Durante 15 dias, visitaram mais de 120 comunidades e localidades, sensibilizando os jovens para o processo da educação cívica, a cidadania.

Segundo Nascimento, o CNJ também desempenhou o seu papel durante um período violento que começou após as eleições de 7 de outubro.

“Nos encontramos com os líderes da juventude dos partidos políticos na nossa série em Santo António. Conversamos, colocamos à mesa para nós tentarmos juntos a esses líderes encontrar a melhor saída de forma que eles pudessem advogar para os seus membros a fim de reduzir o conflito que havia no país”.

Viagem a Nova Iorque

Foi com muito orgulho que Calisto do Nascimento contou que a juventude são-tomense foi representada no Fórum da Juventude do Conselho Económico e Social da ONU (ECOSOC) em Nova Iorque.

“[Esta participação] foi feita através do apoio das Nações Unidas em São Tomé e Príncipe e foi muito importante porque nós conseguimos, no meio de [representantes] de tantos outros países, dar a nossa voz num grupo de trabalho separado”.

O presidente do CNJ disse que o ECOSOC é um dos eventos mais importantes a nível da juventude. Mais de 30 ministros da juventude de diversos países e mais de 800 jovens de todo o mundo participaram do fórum na sede das Nações Unidas.

“O encontro serviu para lançarmos as bases e as sementes para os futuros encontros onde trocamos impressões com líderes do mundo em geral. A nível de posicionamento internacional do CNJ, para o ano, nós conseguimos cumprir aquilo que nós havíamos previsto.”

O que não foi possível concluir no primeiro ano de mandato, e que o presidente do CNJ considera umas das prioridades da sua gestão, foi a informatização dos dados das organizações juvenis. Para superar a dificuldade enfrentada foi lançado este ano o projecto “Revitalizar para Mudar”.

Como a participação num evento como o Fórum da Juventude do Conselho Económico e Social da ONU influencia os jovens líderes?

Entre as diversas actividades de que participou em Nova Iorque, Calisto do Nascimento contou que teve a oportunidade de participar de um grupo de discussão, no qual o tema era o futuro do trabalho. Para ele, isso foi muito importante porque está a preparar um seminário para abordar o futuro do trabalho em São Tomé e Príncipe, e por conseguinte no mundo.

Nascimento também está a organizar o segundo Fórum de Desenvolvimento Sustentável, que se realizará este ano em São Tomé com a parceria das Nações Unidas. Poder participar do Fórum da Juventude enriqueceu ainda mais a ideia do papel de que o jovem tem na sua comunidade.

Ele citou a mensagem que ouviu do secretário-geral da ONU, António Guterres, a qual dizia que “o mundo hoje é jovem” e falava da importância dos jovens terem ideias e explicarem a forma de pensar.

“Isso vem ao encontro daquilo que nós temos para o fórum deste ano”. Conforme Nascimento, o Fórum de Desenvolvimento Sustentável deve ter dois temas e vai tratar da responsabilidade das empresas, da responsabilidade dos cidadãos e da responsabilidade do próprio Estado.

“Esta participação [do Fórum da Juventude em Nova Iorque] veio impulsionar ainda mais esta nossa ideia de realizar essa actividade em São Tomé”.

Confira a entrevista para saber sobre outras actividades de sucesso realizadas pelo CNJ e outros compromissos internacionais.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »