Portal de Angola
Informação ao minuto

Pompeo visita à América do Sul com foco na Venezuela e China

(AFP / Martin BERNETTI) Presidente chileno, Sebastián Piñera com Mike Pompeo no Palácio de La Moneda e, Santiago, em 12 de abril de 2019

A Venezuela e a consolidação das relações bilaterais foram os principais temas, nesta sexta-feira, da primeira visita ao Chile do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, escreve a AFP.

Pompeo foi recebido no palácio de La Moneda pelo presidente chileno, Sebastián Piñera, e depois na chancelaria pelo Ministro das Relações Exteriores, Roberto Ampuero, com quem teve um almoço de trabalho.

A Venezuela foi o centro de parte das conversas entre Pompeo e seus interlocutores chilenos. Mas enquanto Washington cogita a intervenção do país sul-americano para depor o governo de Nicolás Maduro, Piñera reiterou a sua posição de que a democratização da Venezuela deve seguir “sempre de maneira democrática e pacífica, descartando uma intervenção militar”.

Pompeo agradeceu Piñera por “ajudar a isolar” o governo de Maduro e por “mostrar compaixão” aos venezuelanos que fugiram da pior crise humanitária em tempos de paz na Venezuela, onde mais de 2,7 milhões partiram desde 2015, de acordo com a ONU. Entre eles, o Chile já recebeu cerca de 300.000.

Na noite desta sexta-feira, Pompeo chegou ao Paraguai para uma visita relâmpago. O enviado do presidente Donald Trump pernoitará em Assunção e continuará a sua agenda oficial hoje, onde tem previsto uma viagem à Lima antes do meio-dia.

Na capital paraguaia, Pompeo reunir-se-á com o presidente, Mario Abdo Benítez, e com o ministro das Relações Exteriores, Luis Castiglioni, com uma agenda concentrada em “reforçar” os vínculos para combater o crime transnacional e a corrupção, fortalecer os laços econômicos e apoiar a democracia na Venezuela.

Depois do Paraguai, Pompeo visitará o Peru e Cúcuta, na Colômbia.

A visita de Pompeo ao Chile acontece às vésperas de uma reunião do Grupo de Lima que acontece na próxima segunda-feira em Santiago, que contará com a participação de pelo menos uma dúzia de Ministros das Relações Exteriores dos países membros, segundo fontes da chancelaria chilena.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »