Portal de Angola
Informação ao minuto

Milícias precisam ser enfrentadas, diz Mourão após desabamento no Rio

(DR)

Ao comentar o desabamento de dois prédios no Rio na manhã de hoje, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou ser inadmissível que grupos impeçam autoridades e trabalhadores de companhias de serviços (água, energia elétrica, gás) de atuarem nas comunidades e que esse problema precisa ser enfrentado pelo estado.

De acordo com a UOL, a região onde os prédios desabaram, na comunidade da Muzema, no bairro de Itanhangá, na zona oeste, faz parte do território comandado por milícias. A prefeitura informou em nota que as as construções eram irregulares, não autorizadas pelos órgãos fiscalizadores e que tiveram as obras interditadas em novembro de 2018. Elas faziam parte de uma espécie de condomínio, onde há outros edifícios construídos na mesma situação.

“Esse problema [das milícias] tem que ser enfrentado, não se pode fugir disso aí, de modo que o estado possa desempenhar o seu papel. É inadmissível que haja nesses locais, que autoridades, trabalhadores das companhias de energia e gás, não possam entrar lá dentro”, disse Mourão em entrevista à rádio CBN.

Os milicianos dominam a venda de imóveis irregulares na região. Grupos constroem conjuntos habitacionais sem as licenças requeridas pelas autoridades.

“Eles constroem e não querem saber, constroem e não tem estrutura”, disse moradora do local, Beatriz Morgana, também em entrevista à CBN.

Ela contou ainda o prédio que mora fica próximo aos que desabaram e que ele tremeu quando o fato aconteceu. “Eu pretendo sair daqui, poderia ter sido o meu, mas graças a Deus não foi”, disse.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »