- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques Washington adverte países que queiram comprar armamento russo

Washington adverte países que queiram comprar armamento russo

Sputnik

O Egipto e outros países que querem comprar armamento russo devem se lembrar das possíveis consequências de aplicação da lei CAATSA (Lei Contra os Adversários da América Através de Sanções, em português), afirmou nesta terça-feira, 9, aos jornalistas um representante da administração dos EUA.

“Não temos uma grande agilidade no âmbito da lei CATSAA. Os países que fazem tais pedidos devem estar cientes de que estamos muitos limitados para suavizar [as consequências da aplicação da lei]”, afirmou.

“Já tivemos essa situação com a China, com a Índia, com a Turquia, que é aliado da OTAN. Ou seja, gostaríamos de apelar para que os países que desejem manter e expandir as suas relações com os EUA na área militar encarem essa lei de forma muito séria”, disse o representante, ao comentar as informações sobre a possível compra de caças russos Su-35 pelo Egipto.

Anteriormente, o jornal russo Kommersant escreveu que a Rússia e o Egipto assinaram contratos para a entrega de caças Su-35 ao Cairo.

Segundo as fontes da edição, o contrato prevê a entrega de “mais de duas dezenas de aeronaves” e armamento aéreo no valor de US$ 2 biliões e entrou em vigor no final de 2018, enquanto as próprias entregas podem começar já entre 2020 e 2021.

Em comentário à Sputnik, o Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar russo, comunicou que a Rússia e o Egipto na segunda metade de 2018 não firmaram contratos para entrega de aeronaves.

A CAATSA (em inglês, Countering America’s Adversaries Through Sanctions Act) é uma lei federal dos EUA que impõe sanções adicionais contra o Irão, a Coreia do Norte e a Rússia, assinada pelo presidente Donald Trump a 2 de Agosto de 2017.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.